Será que meu leite é suficiente?

A produção de leite materno é uma coisa que preocupa muito as mães de primeira viagem. Recém-nascidos costumam mamar entre 8 e 12 vezes ao dia depois do quarto dia de vida. 

O que pode causar baixa produção de leite materno?

As mães podem ter dificuldade em produzir leite quando…

Ocorre uma perda de sangue excessiva na hora do parto ou há uma retenção de pedaços da placenta no corpo da mãe.

Existe um histórico de síndrome do ovário policístico, diabetes, distúrbios da tireoide ou outros distúrbios hormonais, que podem levar a uma baixa produção de leite.

A mãe possui hipoplasia mamária, em que a mulher não possui uma quantidade suficiente de tecido glandular mamário.

Já foram realizadas cirurgias mamárias antes ou houve um traumatismo da mama.

Como é sua produção? 

Conforme o leite desce, os seios começam com a produção do leite e, cada vez que ele é removido pelo bebê ou por extração, seios produzem mais leite. Isso significa que se o bebê começar a tomar mamadeira com fórmula, a produção pode reduzir, por não haver a remoção de leite da mama.

Em relação ao bebê, quanto maior for frequência e a eficácia da amamentação, mais leite será produzido. Se o bebê não tomar uma quantidade de leite suficiente durante a mamada, é fundamental que seja extraído com uma bomba regularmente para que a produção não pare.

Como saber se o bebê está mamando o suficiente?

Sinais de que é suficiente

Durante as primeiras semanas, o bebê mama em média de 8 a 12 vezes por dia.

Ocorre a sensação de maior leveza no seio ao fim das mamadas.

Depois de mamar, o bebê recém-nascido fica mais relaxado e satisfeito.

A quantidade de fraldas molhadas cresce a partir do quinto dia de vida.

Em 24 horas, o bebê suja entre seis e oito fraldas. 

O xixi do bebê é claro e sem cheiro.

É possível ouvir ou sentir que o bebê está engolindo o leite.

As fezes do bebê possuem uma coloração amarelo-mostarda, a partir do quinto dia de vida. 

O bebê permanece alerta no intervalo de cada mamada.

Sinais de falsa ideia de leite fraco

Se o bebê não pega a aréola completamente ou não consegue extrair o leite direito, pode ser que a pega não esteja certa. 

Se os mamilos estão rachados e a amamentação fica menos eficiente, não quer dizer que a produção está diminuindo.

O outro seio só deve ser oferecido se o primeiro parecer mais leve, indicando que o bebê o esgotou, e ingeriu a parte mais gordurosa e nutritiva, que demora mais para ser produzido.

Uma alimentação ruim pode levar a uma produção prejudicada, mas a qualidade dele pode se manter a mesma.

A consistência do leite varia e a cor pode mudar bastante com cada mamada, apresentando uma cor de amarelada a azulada no mesmo dia.

O aumento na frequência das mamadas, ao invés de ser por falta de leite, pode ser o resultado do pico de crescimento, em que o bebê precisará de mais energia.

Obs.: seja como for, o melhor é beber bastante líquido e procurar por orientação especializada.

Sinais de que não é o suficiente

O seio continua a parecer pesado depois da mamada.

Se na bochecha não parecerem covinhas enquanto ele mama, e se os mamilos ficarem machucados.

O bebê não suje pelo menos seis fraldas dentro de 24 horas a partir do quarto ou quinto dia, e/ou fazer cocô com apenas em bolinhas pequenas e escuras aparecendo. 

O bebê não consegue recuperar o peso que perdeu no parto até o fim da segunda semana de vida.

A pele e os olhos ficam mais amarelos depois da sua primeira semana. 

O rosto não começa a ficar mais arredondado dentro das 3 semanas.

Depois de mamar o bebê não parece satisfeito.

A pele permanece enrugada depois do fim da primeira semana.

Sinais de alerta 

O bebê não se mexe, ficando parado, na maior parte do tempo, com dificuldade em despertá-lo para mamar. 

O bebê não molhar no mínimo 3 fraldas em 24 horas.

O bebê começa a ter febre.

Obs.: procure o pronto socorro, se bebê molhar menos de 6 fraldas em um dia.