Quando começar a dar suco ao bebê?

amamentação exclusiva até os 6 meses de vida é algo sempre indicado pelos pediatras, sendo que só a partir desse período devem introduzidos os outros   alimentos. Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, os sucos de frutas para bebês devem ser oferecidos depois de completar o primeiro ano de vida. Mas, nem todas as mães seguem essa restrição. Alguns pediatras continuam recomendando que o suco deve ser introduzido na alimentação do bebê logo que completar o seu 6º mês.

Hidratação

O organismo sempre deve estar hidratado para que o organismo se mantenha saudável e, para isso, a melhor forma de é beber água ao longo do dia. Mas, quando se trata dos bebês, fica a dúvida sobre em qual momento de ser oferecido a água pela primeira vez.

Os bebês amamentados de forma exclusiva se hidratam por meio do próprio leite materno, que é 90% composto por água. Não existe a necessidade de qualquer complemento nos primeiros meses. A partir do 7º mês, a água pode ser inserida em livre demanda em um copinho próprio para ela.

Durante os dias muito quentes, para que ele não fique desidratado, o leite materno precisa ser oferecido mais vezes. Caso ocorram vômitos, diarreia ou o bebê tenha dificuldade para mamar, é muito importante estar atento aos sinais de desidratação, como boca seca, a moleira e os olhos mais fundos, muita irritabilidade, urina mais escura e de volume reduzido.

Os bebês que se alimentam de fórmula precisam tomar água desde do início. A água deve ser oferecida no intervalo das mamadas, mas sem obrigar. E, se os bebês não aceitarem, pode-se usar colheres e conta-gotas. Para definir a quantidade de r água é calcular 10% do volume em cada mamada para oferecer a água. Assim, se o bebê mama volumes de 150 mL de fórmula, ele precisará beber 15 mL de água por mamada.

Suco para o bebê

Como dito anteriormente, os sucos podem ser introduzidos após o primeiro ano de vida, desde que sejam naturais e sem açúcar e não ultrapassem a marca de 100 ml por dia.

Sucos artificiais com açúcar precisam ser evitados, porque contém alto teor glicêmico. Ele é composto pelo açúcar da fruta, açúcar industrial, conservantes, corantes, emulsificantes e sódio. Mas, caso seja necessário algo mais práticos, é importante ficar de olho no rótulo e às informações nutricionais. Sempre evite oferecer alimentos com alto teor de açúcar, sendo que existem diferentes tipos de sucos artificiais. O ideal é o suco em pó ou o pasteurizado.

Suco e frutas

O suco de frutas é saudável por ser natural, saboroso e é facilmente ingerido e aceito pelos bebês. Muitos pais deixam de dar a fruta em sua versão natural ou começam a substituir as refeições por uma mamadeira ou copinho com suco.

Esse tipo de situação, desestimula à mastigação e o suco perder as vitaminas e fibras que ficam na fruta in natura. Em algumas situações, a água que é fundamental e essencial para a saúde, é trocada pelo suco de frutas.

O suco nunca deve substituir as frutas ou a água.

Nutrição

Para fazer um suco natural, normalmente, é necessária uma certa quantidade de frutas. Isso, pode levar a uma carga calórica grande para o bebê. Além disso, a mastigação e a deglutição só se desenvolvem ao ingerir alimentos mais sólidos. O sabor, textura e consistência das frutas é bem diferente do suco, e ajuda na adaptação do bebê para a sua nova forma de se alimentar.

Lembre-se

Os sucos de fruta não podem ser oferecidos como forma substituição para as refeições e nem devem ser adoçados.

Os sucos não devem ser oferecidos em uma mamadeira, mas, sim, em copos infantis.

Os sucos não podem ser usados para tratar da diarréia e desidratação do bebê.

Um consumo elevado de suco pode aumentar as distensões do abdômen, as diarreias e as flatulências.

É preciso ter cuidado com horário, porque o consumo de suco de fruta, principalmente, no período da noite aumenta a possibilidade do desenvolvimento de cáries nos dentes.

A quantidade de suco deve ser limitada a 180 ml por dia. Só a partir dos 7 anos, o consumo pode aumentar para 200 a 350 ml.