Problemas que as mães enfrentam logo após dar à luz 

0

Problemas de amamentação no primeiro mês

Amamentar é algo que a mãe aprende com o tempo. Pode demorar algum tempo, mas basta praticar, até que tudo torne-se instintivo. Mas a amamentação pode não ser algo fácil. Muitas mulheres podem sofrer com nódulos altos no seio lactante, sendo que um dos motivos mais comuns é um canal obstruído por leite. Neste caso, massagear a área afetada quando amamentar ou extrair leite, ajuda a libertar a obstrução e aliviar a dor. Também, pode pressionar a mama com uma flanela morna e tomar um banho morno antes de iniciar a amamentação para aliviar o desconforto. Apesar dos problemas, é importante amamentar normalmente para evitar acumulação de leite, que pode levar a uma mastite. Retire o leite da mama afetada depois da amamentação para que ocorra uma drenagem do leite, que irá ajudar a remover a obstrução para que o canal funcione de novo. Mas se aparecerem sinais de infecção ou outro problema não relacionado com a amamentação, é preciso consultar-se com um médico. No caso de seios vermelhos e doloridos, é possível que haja uma mastite. A mastite é quando o tecido da mama fica inflamado, com a área avermelhada e quente, alta sensibilidade e sintomas parecidos com os da gripe. Quando aparecem estes sintomas, deve-se consultar o médico imediatamente. Quando se sente dor nas mamas é recomendado tomar paracetamol ou ibuprofeno para aliviar a dor, como indicado na embalagem. A amamentação e a extração do leite precisam continuar a serem feitas com frequência. O ideal é oferecer ao bebê primeiro a mama afetada para que seja drenada. A mãe precisa descansar, beber e comer bem.

Flacidez na barriga depois da gravidez

A flacidez da barriga depois da gravidez e a diástase são coisas que podem aparecer depois de dar a luz. Algumas mulheres se sentem tão incomodadas e tristes que não conseguem olhar para a própria barriga. Acabam sendo geradas muitas frustrações com o passar do tempo e essas mulheres começam a pensar que a flacidez e a diástase só serão resolvidas com uma abdominoplastia. A diástase é uma das principais causas da flacidez da barriga depois da gravidez, porém, mesmo entre os profissionais da saúde, há muitas pessoas que não conhecem os efeitos da gravidez e que não sabem o que é a diástase. Boa parte das mulheres acham que a barriga está estufada por causa de gordura, mas nem sempre é gordura. Elas acabam criando vários métodos para a recuperação do corpo anterior. Mas tratamentos feitos com cremes para redução de gordura não auxiliam na recuperação de uma diástase. A diástase abdominal é uma das principais causas para que a barriga fique flácida e não consiga voltar ao normal. Ela é a separação natural com o afastamento dos músculos retos na área central da barriga durante a gravidez. A estética e a função do corpo no local ficam comprometidas, deixando a barriga flácida e estufada. Músculos da barriga fragilizados e fracos não conseguem manter o tronco estabilizado, assim a coluna fica prejudicada, causando má postura, dor e, até o aparecimento de incontinência urinária levando prejuízo aos órgãos.

Estresse depois do parto

Depois do parto, é muito comum que as mães passem por um turbilhão de emoções, com os vários cuidados que o recém-nascido precisa. Isso pode levar a um alto nível de estresse, causando irritabilidade extrema, tristeza e até depressão. Algumas medidas que podem auxiliar são: Fazer uma avaliação geral de saúde, pois adolescentes, mulheres com mais de 35 anos, mães que já passaram por aborto e que tem doença crônicas costumam passar por muito estresse na gravidez. Ter um estilo de vida saudável ajuda a contribuir para um estado de humor melhor. É importante uma alimentação balanceada e rica em fibras, muita água, atividade física moderada e distância de cigarro e drogas. Melhorar os laços afetivos e ter um maior suporte da família e dos amigos. Deixar as contas acertadas antes do bebê nascer. Cultivar o vínculo materno ajuda muito a passar pelos momentos difíceis, ao conversar com o bebê, afagar a barriga, massagear as extremidades e abraçá-lo. Cuidar da estabilidade emocional e se informar sobre a depressão pós-parto.

Qual o Significado de Sonhar com o seu Filho ou Filha

0
Significado de sonhar com filho ou filha Sonhar com filho é sempre algo que deixa qualquer mãe alerta. A saúde e o bem-estar dos nossos filhos é uma das coisas mais importantes das nossas vidas. Quando sonhamos com eles, principalmente em situações perigosas, ficamos logo com medo e com receio do que possa vir a acontecer. Mas será que os nossos sonhos podem simbolizar perigo na nossa vida e dos nossos familiares? Na verdade, sim. Existem vários sonhos que são sinais de aviso para vários eventos do futuro. É por esse mesmo motivo que é tão importante analisarmos ao máximo todos os nossos sonhos. O significado vai depender dos detalhes Tal como deve perceber, cada sonho tem um significado diferente. Sonhos com filhos chorando vão significar algo diferente de sonhos com filhos sorrindo. Não vale a pena dar um significado genérico. Temos de analisar todos os cenários possíveis pois apenas assim temos respostas mais diretas para todas as nossas perguntas e preocupações. Decidimos mostrar todos os possíveis sonhos com filhos e todos os seus significados. Agora basta que analise como foi o seu sonho e que leia o que ele significa para a sua vida ou para a vida do seu filho/. Sonhar com filho morto Um dos maiores receios dos pais é que este sonho esteja relacionado com a vida real. Pode ficar descansada/o que isso não é verdade, o seu filho não vai morrer nem tem qualquer tipo de doença terminal. Sonhar com um filho morto simboliza apenas que devemos tomar atenção aos nossos filhos. Existe algo na vida deles que não está bem e nós, os pais, podemos ajudar. Pode não ser nada grave, mas mesmo assim vale a pena examinar. Na maioria dos casos são zangas de escola, problemas no trabalho ou até mesmo financeiros. Sonhar com filho pequeno Um filho pequeno ou até mesmo um bebê no colo nos sonhos traz um excelente significado no mundo dos sonhos. Quando eles são pequenos existe tudo para descobrir. Tudo é novo e bonito e isso está relacionado com o significado do seu sonho. Simboliza que brevemente a sua vida vai ter muitas boas descobertas. Vão aparecer coisas novas na sua vida que vão deixar você muito feliz. Essas novas descobertas podem estar relacionadas com o dinheiro, com o amor ou com o trabalho. É um excelente sonho ao qual deve dar bastante importância. Era o filho de uma pessoa desconhecida? É normal a gente sonhar com crianças ou filhos de outras pessoas. Na maioria dos casos nem sabemos de quem são, eles simplesmente aparecem no nosso subconsciente. Mas será que tem um mau significado? Mais ou menos! Sonhar com o filho de outra pessoa quer simplesmente dizer que você precisa começar a se preocupar mais com a sua família. Podem haver membros da sua família precisando de ajuda e você ainda não se apercebeu disso. Não quer dizer propriamente que seja um filho ou filha. Pode ser o seu marido/mulher, um primo ou até mesmo a sua mãe. O que é certo é que a sua ajuda iria dar muito jeito a essa pessoa, por isso tente resolver essa situação rapidamente. Ele estava se afogando? Chegamos a um dos sonhos mais terríveis de se ter… Nele vemos o nosso filho ou o filho de outra pessoa se afogando. O significado vai ser o mesmo, sendo o nosso filho ou de alguém. Significa problemas futuros em relação à sua família. Brevemente uma zanga familiar vai chegar e vai demorar a desaparecer… Vão aparecer conflitos que podem desestabilizar os vossos laços familiares, por isso é melhor você se preparar. Existem ainda uma interpretação extra… Se você viu essa criança se salvando ou se você salvou ela isso significa que essa disputa familiar vai ser rápida. Se viu essa criança morrendo afogada à sua frente significa que a sua disputa familiar vai durar bastante tempo. Sonhar com filho brincando com outras crianças Durante o seu sonho viu o seu filho brincando com outras crianças? Existem vários relatos deste sonho e o seu significado foi facilmente revelado. Quer queira quer não, o sonho está relacionado com os medos da parentalidade. Você tem medo de falhar como mãe/pai e isso está se revelando através deste sonho. Tem medo de educar mal o seu filho e que ele tenha um futuro menos promissor à conta dessa sua atitude. Acredite que não precisa ter medo. Neste caso o recomendado é que relaxe e que dê o seu melhor na educação do seu filho, sem nervos nem estresse. Sonhar com filho doente Ninguém quer ter um filho doente, nem mesmo nos sonhos. A doença tem um significado bastante geral no mundo dos sonhos. Simboliza nada mais nada menos que problemas e complicações na saúde, neste caso do seu filho. Felizmente não são problemas de saúde graves. Normalmente o sonho indica simplesmente gripes, febres e outros problemas de saúde que se resolvem facilmente com medicação. Tendo em conta isso, não se precisa preocupar muito. Era um recém-nascido? Existe ainda um significado que queremos revelar. Nele vemos um recém-nascido. Pode ser nosso filho ou de outra pessoa, mas o importante é que ele esteja bem durante o sonho. Se for o caso, tem um excelente significado a revelar! Sonhar com recém-nascido simboliza o aparecimento de novas oportunidades na sua vida. Essas oportunidades vão estar relacionadas com todos os campos. Pode ser a nível do amor, a nível de trabalho ou até mesmo de saúde. É um sinal de que as coisas vão finalmente melhorar e que se aproxima um momento de grande felicidade. Sem dúvida, é um excelente sonho que você pode ter!

Principais Regras de educação  – Conheça o que é importante!

0
As regras de educação são importantes e aprendida aos poucos pelas crianças. O importante é estar disposto a ensinar.

Agradecer

Ao ensinar o seu filho a dizer “obrigado” quando ganhar um presente ou for elogiado, é importante fazê-lo entender que quem lhe deu o presente e elogiou se preocupou e lembrou dele, e, por isso, deve ser agradecido. A criança precisa aprender a sempre agradecer. Mas evite dar broncas, porque, muitas vezes, só está sendo sincero. Também há a questão da empatia que influencia como a criança agradece um presente se ficar sem graça com a atitude do filho, basta pedir desculpas para quem o presenteou.

Pedir “por favor”

A criança precisa observar que você e outros adultos usam o “por favor” dentro e fora de casa. Com adultos dando o exemplo todo o dia, é mais fácil cobrar o mesmo de seu filho. É importante estar sempre lembrando-o de pedido de acordo com as situações até se tornar um costume usá-lo. Se ele não pedir com “por favor”, não ceda. Somente por volta dos 4 e 5 anos é que começamos a entender as normas sociais.

Desculpa

Pedir desculpa não deve ser uma simples obrigação, é importante entender o motivo para pedir desculpas. Leve sempre em consideração a idade do seu filho. Apenas por volta dos 4 anos, é que ele vai começar a compreender mais profundamente o que é certo ou errado.

Emprestar

Criança com até 3 anos, tem dificuldade em entregar algo dela para outra pessoa e entender que receberá de volta. Crie trocas e/ou objetos repetidos quando ele for encontrar outras crianças da mesma idade. Conviver com irmãos, primos e colegas de escola torna a situação mais fácil.

Respeito

Aprender a respeitar os mais velhos é muito importante, seja com adultos próximos ou que não vê com frequência. O diálogo é importante e é preciso ter adultos que deem o exemplo no dia a dia. Ele tem que entender que o tratamento com uma pessoa mais velha é diferente do que ele dá para amigos da escola. Os mais velhos precisam ser vistos como pessoas com mais experiência e que merecem ser ouvidos.

Paciência

As crianças são muito inquietas, principalmente, quando tem que esperar em filas ou para serem atendidos. É preciso ter paciência e ensinar aos poucos que ele precisa ser mais paciente e que tudo tem a sua hora. O seu filho precisa perceber que o seu momento chegará.

A Pirraça

Quando sua criança começa a chorar, subir na mesa, rolar no chão e não quer devolver o brinquedo, tenha paciência e nãos e desespere. Perder o controle e se alterar só irá tornar as coisas piores, fazendo a criança acreditar que só se alterando terá o que quer. O que ele quer é chamar a atenção e ao consegui-la com a pirraça, ele encontra uma brecha para ter o que quer. A pirraça ou birra é uma forma que a criança encontra para demonstrar independência e suas vontades e, normalmente, acontece após 1 ano e meio. Caso o seu filho obtenha o que quer, dê pouca atenção, com um sermão rápido falando que essa não é a forma correta para ter o que quer. Ignore a criança e deixe ela se acalmar, conversando e a abraçando. Caso isso aconteça em lugar público, leve a criança para casa e dê o sermão explicando o porquê.

Não quero comer!

A maior parte das mães encontram obstáculos ao alimentar o seu filho. É muito importante prestar atenção ao que e quanto ele está comendo. Em alguns casos, é importante procurar por um médico para que aconteça uma avaliação para verificar se não é uma doença da infância que reduz o apetite e levando ao baixo ganho de peso. Quando uma não come determinado alimento, porém gota de outro que fazem parte do mesmo grupo alimentar, não tem problema e ela não deve ser obrigada. Não é indicado forçar comer os alimentos recusados. Mas, o alimento deve ser sempre oferecido. Quando uma criança não come o almoço e o jantar, você não deve substituir a refeição por um lanche. Observe o comportamento e tente descobrir o porquê de não querer comer.

Principais cuidados com o bebê após o nascimento

0
Nos primeiros dias de vida, o bebê, basicamente, só chora, mama, arrota, suja a fralda e dorme. Para filho e mãe, esse é um período para reconhecimento, conhecimento, experiência, com ambos se adaptando a rotina. O aprendizado vem aos poucos, com orientação de pessoas experientes, conversas com o pediatra, ou lendo sobre o assunto. A casa e a família precisam entrar em uma nova rotina e organização, dentro de um ritmo que permita o bebê a aprender a mamar, a dormir, a se comunicar e lentamente tornar-se mais independente.

Sono do bebê

O sono do bebê vai se ajustando com o tempo, sendo normal, que nos primeiros dias, ele acorde depois de uma ou duas horas. O ideal é que a mãe durma e descanse com o bebê. É preciso paciência nos 4 primeiros meses e muita atenção. Durante essa fase mais delicada, ele não deve dormir com travesseiro, para que não ocorra sufocamento. A criança tem que estar dormindo sempre de barriga para cima para não haver risco de morte súbita. Nos primeiros 30 dias o bebê deve dormir no quarto dos pais para facilitar a amamentação e o monitoramento.

Quando o bebê chora

Nos primeiros meses, o choro é a única forma de comunicação que o bebê tem. Durante os primeiros 15 dias, quase sempre é por fome. Depois desse período, dá para diferenciar se a fralda precisa ser trocada ou se está com febre ou fome. Quando sente fome, ele começa a procurar pelo seio com a boca ou mãos.

A amamentação

A amamentação com o leite materno ajuda a construir o sistema imunológico da criança, a prevenir alergias e proteger a mãe contra doenças cardiovasculares. A primeira vez deve ocorrer logo após o nascimento, assim que a criança já tenha sido examinada e estiver bem. Isso vai ajudar a começar com o processo para estimular a descida do leite. A amamentação nem sempre é fácil. No caso da mãe não desenvolver o leite, o médico vai indicar fórmulas infantis, de leite de vaca ou de soja modificado.

Arrotar

Colocar o bebê para arrotar é importante e deve ser segurado na vertical, colado ao ombro, até ele arrotar por 20 minutos, no máximo. O bebê que mama no peito arrota pouco, por ingerir menos ar na amamentação. O bebê que toma mamadeira ou tem refluxo solta mais ar

As cólicas do bebê

As cólicas são comuns a partir dos 15 dias de vida e vão diminuindo e somem por volta dos 3 meses. O sistema digestivo antes desse período ainda não funciona normalmente. Para auxiliar nisso, a mãe que está amamentando deve evitar café, refrigerantes e chocolate. Quando o bebê estiver com cólica, é recomendado manter o abdômen quente com a barriga para baixo ou junto ao peito, empurrando as pernas flexionadas.

Curar o umbigo

O cuidado com o umbigo é simples e deve ser feito três vezes ao dia. O local precisa ser limpo com álcool 70% e hastes flexíveis. Deve-se levantar o que restou do cordão e passar a haste na base dele com movimentos circulares. Normalmente, cai na primeira semana, mas pode ser preciso 20 dias.

Hora do banho

O banho deve ser com água morna, com temperatura em torno de 36ºC. Para saber se a temperatura está certa, basta colocar o cotovelo e sentir a água. O nível da água tem que estar baixo para não ter que se preocupar com o bebê escorregando ou se afogando. O banho deve ser feito com um sabonete neutro que não resseque e nem agrida a pele. É indicado trocar o bebê no mesmo local do banho para evitar um choque térmico e seque bem os cabelos com uma toalha. As unhas devem ser aparadas logo que aparecer a parte branca. Isso é feito com uma tesoura ou cortador infantil. Basta apertar a ponta do dedo e cortar o que sobra fazendo um movimento reto.

Cuidado com a moleira

Há duas moleiras, uma pequena, atrás da cabeça, e outra no alto dela que é mais evidente. Elas se fecham, por volta dos três meses com o processo da consolidação óssea da criança. Não precisa cuidados especiais, basta não tocar.

Doenças e irritações nos primeiros anos de vida bebê

0

Irritações com erupções cutâneas

Uma erupção cutânea é uma mudança anormal na textura ou cor da pele. As causas mais comuns são as irritações e infecções causadas por bactérias, fungos ou vírus. Os sintomas são vermelhidão, espinhas peroladas, nódulos, descamação com cor branca ou amarela e coceiras.  As erupções cutâneas, geralmente, melhorando com o uso de corticosteroides, anti sépticos, unguentos hidratantes, unguentos antibióticos ou de remédios que aliviam a coceira. As irritações e erupções cutâneas pequenas em bebês e crianças, normalmente, não são graves. Elas podem ser causadas por ingestão ou contato com produtos de componentes que causam uma reação alérgica, medicamentos, assaduras que é dermatite da fralda, crosta láctea que é dermatite seborreica e dermatite atópica que é a eczema.

Assaduras

As assaduras são as irritações vermelhas que aparecem na pele do bebê quando fica durante muito tempo em contato com a fralda suja de urina, fezes ou os dois. A umidade causa a irritação nas áreas da pele que são tocadas pela fralda. Ela, também, pode aparecer por causa de infecção causada pelo fungo Cândida ou por bactérias. Os bebês que são amamentados costumam ter menos assaduras. O principal tratamento é a troca frequente da fralda, com a pele sendo lavada suavemente com sabão e água. Nas trocas de fraldas podem ser utilizados hidratantes e pomadas que criam uma barreira entre a pele e a fralda.

Crosta láctea

A crosta láctea é uma erupção com crosta que descamam e que possuem a cor vermelha e amarela, aparecendo na cabeça do bebê, em algumas situações podem aparecer nas dobras da pele e causa é desconhecida. Ela não causa grandes prejuízos e desaparece na maioria das vezes até os seis meses de idade. Ela é tratada com o uso regular de xampu de sulfito de selênio e massagem com óleo mineral no couro cabeludo para que as crostas se soltem e sejam retiradas com um pente fino. Às vezes pode ser necessário o uso de creme com corticosteroides.

Dermatite atópica

A dermatite atópica é uma erupção cutânea com cor vermelha, escamosa e que causa coceira. No começo aparecem manchas que aparecem e desaparecem e pioram quando está frio e seco. Vão se desenvolvendo erupções cutâneas que virão com crostas no rosto, couro cabeludo, mãos, braços, pés, pernas e na pele sob as fraldas. Não se conhece a causa ser desconhecida, mas ela tende a ser um problema de família que aparece devido a uma alergia. Normalmente, desaparece conforme o crescimento, mas em alguns continua a aparecer pelo resto da vida. O tratamento é feito com hidratantes, sabonetes, ar umidificado, cremes corticosteroides e medicamentos antipruriginosos. Outras irritações são infecções virais, dermatofitoses, molusco contagioso e Mília.

Doenças comuns nos primeiros anos de vidas

As doenças mais comuns nos três primeiros anos de vida são: A Otite infantil é uma infecção do ouvido provocada por bactérias ou vírus, que causa choro alto contínuo, secreção nasal, falta de apetite, febre e irritação. O tratamento é feito com analgésicos, antitérmicos e antibióticos. A Laringite infantil é a inflamação na região das cordas vocais, que causa dificuldade para engolir, febre, tosse seca, rouquidão ou sumiço da voz. O tratamento é feito com corticoides. A Amigdalite infantil é uma infecção nas amígdalas causada por bactérias ou vírus, que causa inchaço ao lado do pescoço e na mandíbula, dor de cabeça e muscular, febre, dificuldade para engolir, calafrios e mau hálito. O tratamento é feito com antibióticos. A Infecção urinária infantil é causada por bactérias no trato urinário, que não apresentam sinais em crianças muito pequenas, mas pode causar dor lombar. O tratamento é feito com antibiótico. A Conjuntivite infantil é uma inflamação da membrana fina e transparente da superfície do olho que deixa os olhos vermelhos, lacrimejantes, com secreção e a sensação de areia dentro deles. O tratamento é feito com limpeza usando soro fisiológico várias vezes ao dia. O Impetigo infantil é uma infecção na pele causada por germes em que se formam bolhas com pus muitas vezes imperceptíveis. O tratamento é feito com a remoção das crostas, limpeza das lesões e aplicação de pomadas antibacterianas. Outras doenças são: Vulvovaginite, Anemia Ferropriva, Brotoejas, CataporaBalanopostite, Alanopostite, Bronquiolite, Diarreia e Vômito, Dermatite atópica, Gripe.

Dicas de criação – As melhores para a criação de seu filho

0
Os comportamentos vão mudando com o tempo rapidamente. Criar um filho nessa época altamente tecnológica traz inseguranças, os pais não sabem se estão certos e se os filhos serão bem-sucedidos. Mas, a verdade é que atitudes simples ajudam a mostrar a respeitar o próximo e que o mundo não gira em torno delas.

Primeiros meses de vida

Nesta fase, é importante que todas as suas necessidades sejam atendidas e uma total dedicação é importante para que se forme uma base para a construção de sua autoestima. Ao crescer, a criança vai se desenvolvendo e começa a interagir com o mundo. Ela precisa começar a entender que há limites e regras, e que tudo tem o seu tempo e que não terá tudo o que quer.

Primeiro ano

Em seu primeiro ano, a criança começa a sentir as frustrações, mas, ainda, não pode transmitir os seus sentimentos com as palavras, apenas com gestos. Os gestos podem ser batendo ou puxando o cabelo dos adultos. Desde esse momento, é importante mostrar que este tipo de atitude não é permitido. Mas, ao invés de recorrer às palmadas, segure a mão do bebê, olhe, fale e demonstre que é errado. Os pais precisam observar para entender o que causou a reação, como resolver ou como a criança terá que lidar.

A partir do 1 ano de idade

De acordo com o crescimento, a criança começa a ampliar o seu mundo ao entrar em contato com o que está ao seu redor. A sua propensão é de tocar o que se encontra ao redor para conhecer. É nessa fase que deve começar o ensinamento sobre o respeito às plantas e animais, sempre mostrando e impondo os seus limites, pois nem tudo é permitido.

Crianças na creche e pré-escola

Essa é a fase em que ocorrem a ampliação de seus contatos e interação com as crianças da mesma idade. Agora é o momento em que a criança é obrigada a aprender que todos possuem a sua própria forma de ser e que cada um tem as suas preferências, e que às vezes é preciso aceitar e compartilhar. Nessa idade, as crianças já conseguem verbalizar o que querem e as frustrações. Porém, ainda, é necessário usar o corpo para sinalizar e enfatizar o estabelecimento de limites como dizer não com a voz e o dedo, sempre olhando diretamente com um tom de voz calmo e firme.

Fase entre os 3 e 6 anos

A partir dos 3 anos de idade, já há uma boa interação e convivência social. A criança vai aprendendo aos poucos o que é realmente importante e necessário. É importante começar a sugerir ideias como doar roupas que não servem mais, brinquedos que não quer. É importante mostrar apreço e valorizar a ajuda ao colocar a roupa suja no cesto, colocar o prato na pia, etc.

Dos 7 anos em diante

Agora, elas têm um maior conhecimento sobre regras e para que servem. Nesse período, elas já entendem limites impostos, mas, também começa a aparecer o seu carácter competitivo e eu desejo de ganhar. Muitas delas começam a querer vencer a todo custo e podem vir a trapacear, mudar as regras para sua conveniência. Podem começar a parar de participar de jogos ou esportes em que não são bons ou que as deixam muito frustradas ao perder. Os pais devem fazê-los perceber que possuem as suas próprias qualidades e habilidades que merecem ser desenvolvidas. Porém precisam ter o conhecimento de que não tem como ser perfeito em tudo o que faz. Ela não pode ganhar sempre e precisa saber que pode melhorar e, que você pode ajudá-lo a se desenvolver e reconhecer a habilidade das outras pessoas. Porém, ele e você, precisam aprender que se não vai bem em certas situações, como provas, por exemplo, é porque não se empenharam o suficiente. Por isso, é importante manter sempre o diálogo, o respeito e o afeto entre a família.

Importante

Procure passar um tempo de qualidade com seu filho, pois apenas estar presente fisicamente enquanto fica logado em uma rede social. É importante estabelecer uma comunicação aberta com o seu filho, sempre disposto a ouvir o que ele tem a lhe dizer.

Desenvolvimento do bebê nos primeiros meses

0
O crescimento e desenvolvimento de um bebê é um momento mágico que precisa ser aproveitado ao máximo. Os pais não precisam ter pressa, até, porque o desenvolvimento do bebê não pode ser apressado.

Bebê no primeiro mês

Com 1 mês de vida, o bebê, ainda, não controla os olhos, sendo que a visão é o sentido menos desenvolvido, e a criança tem dificuldade de focalizar objetos. As imagens são embaçadas e duplas, fazendo o olhar do bebê ser atraído por objetos em movimento com cores contrastantes. Com 3 dias, já reconhece a voz da mãe e com 20, emite sons em resposta e vira a cabeça em direção ao barulho.

Bebê no segundo mês

Durante o 2º mês, ele já mostra sorrisos, pois o seu desenvolvimento psíquico e afetivo da criança já estão se formando e aparecem os primeiros sinais. Isso acontece independente do olhar e da receptividade dos pais. Ele já consegue levantar o queixo, com reflexo de virar o rosto de lado se colocado de bruços quando acordado.

Bebê no terceiro mês

Aos 3 meses de idade, a boca é a principal forma de aprender sobre o mundo. Ele já consegue levar as mãos à boca e, também, brinquedos moles que já consegue pegar. Os movimentos reflexos continuam a diminuir, a coluna está mais ereta, o bebê consegue erguer a cabeça, o tronco, esticar os braços e mexer a cabeça à procura de objetos e sons.

Bebê no quarto mês

Nessa fase, o bebê já dorme praticamente a noite inteira e no dia está mais ativo e sorri bastante. A boca, ainda, é a principal forma de conhecimento e aprendizado. Ele já consegue visualizar objetos em até 180 graus, tenta pegar brinquedos e passá-los de uma mão para outra.

Bebê no quinto mês

Ele consegue girar a cintura e está perto de sentar. Seus braços e pernas já estão mais ágeis, estão mais agitados na hora do banho, fazendo movimentos rítmicos e voluntários. Já fica em pé quando é segurado na cintura.

Bebê no sexto mês

Com este tempo de vida, o bebê começa a sentar com apoio de travesseiros e almofadas. Com os brinquedos por perto, ele tenta pegá-los, estimulando o aprendizado do equilíbrio. A criança interage mais com o ambiente, não gosta de ficar sozinha e sorri quando alguém conhecido vem, esticando os braços e com as pernas estendidas quando deita de bruços.

Bebê no setimo mês

O bebê já pode ter começado a engatinhar e rolar pelo chão, ficando mais retraído com pessoas estranhas. O seu choro é mais intenso e agudo, falando palavras que possuem entendimento. A sua memória já está bem desenvolvida e já tem a capacidade de memorizar.

Bebê no oitavo mês

Com os seus 8 meses de vida, a criança já tem um maior controle do corpo e descobrindo o seu equilíbrio com confiança. Ele consegue sentar e engatinhar, sendo importante ter cuidado com pisos muito escorregadios, rampas e escadas. Ele já consegue reconhecer o próprio nome e volta a sua atenção quando é chamado. Também, pode imitar os gestos de outras pessoas.

Bebê no nono mês

O bebê já distingue tons, nuances de cor e formatos, e estão enxergando tão bem quanto um adulto. Os brinquedos com cores fortes e vibrantes chamam mais a atenção, gosta de barulho, música e conhece a relação causa/efeito. Ele já está se preparando para os primeiros passos, ficando mais firmes nos pezinhos quando é levantado ou se apoia nos móveis. Alguns já começam a andar, mas tudo vai de acordo com cada criança.

Bebê no decimo mês

Nessa idade, quando é repreendido, ele sabe que é errado e que não deve fazer isso e não vai continuar. Ele já atende quando é chamado e pode sentir ciúmes se a mãe ou pai pega outro bebê no colo. Se ainda não começou a andar, provavelmente começa a tentar se levantar enquanto engatinha.

Bebê no decimo primeiro mês

Com 11 meses, o bebê já pode estar andando e caminhando sendo que já entende o que pode e não pode fazer quando é repreendido e que não deve repetir. As palavras faladas em repetição são apreendidas e começa ser necessário impor limites.

Bebê no décimo segundo mês

Ele já pode estar andando, mas o importante é que esteja tentando firmar as pernas e sendo bem-sucedido, podendo ser conduzido pelas mãos.

Como saber se o meu bebê está com frio ou com calor

0

Não é aconselhável exagerar nas cobertas e roupas para o bebê não sentir frio ou calor demais

O seu bebê só se comunica por meio do choro – e este é bem mais comum do que você gostaria. Então, como saber se ele está chorando por ter fome, por sentir cólica ou por causa da temperatura? Essa é uma questão que com certeza deixa dúvidas em muitos pais, e talvez a maioria não saiba que os bebês normalmente não sentem tanto frio como crianças mais velhas e adultos. Mas isso não significa que eles não precisam estar sempre bem aquecidos, para que mantenham a sua temperatura corporal. Só para que você entenda o que se passa com o seu pequeno, quando ele nasce, encontra uma temperatura que é 10ºC mais baixa que a do útero. Mas ele se adapta a essa nova realidade muito rapidamente, e sua temperatura se ajusta àquela que é padrão para todos – entre 35,5ºC e 37,5ºC.bebes sentem mudança na temperatura Geralmente o bebê tem as mãos ou os pés frios. Então, quando suas extremidades estão quentes, isso pode ser um indicativo de que ele está muito aquecido. Outros locais que podem ser verificados para saber se o recém-nascido está muito quente ou muito frio são as costas e o pescoço. Se você notar sinais de suor no pescoço, nas orelhas e nas mãos do seu bebê, isso pode ser um forte sinal de que ele está com calor. E se ele estiver muito agasalhado, também pode ficar irritado. Estes são alguns locais para checar se o seu filho está sentindo frio ou calor: Frio: cheque a temperatura da barriga, do peito e das costas do recém-nascido. Se a sensação for fria nesses locais, ele provavelmente está sentindo frio. Outros sinais disso são tremores, apatia e palidez. Calor:  Verifique a temperatura nos mesmos locais. Se a pele estiver úmida e pegajosa e houver a presença de suor, o bebê provavelmente está com calor. Outros sinais disso são o rosto e as orelhas com cor rosada e uma frequência cardíaca maior do que a normal. Para manter a temperatura corporal do bebê em um nível adequado, a temperatura ambiente deve ficar entre 18ºC e 21ºC. Não agasalhe demais o seu bebê – essa é uma tendência de toda mãe, especialmente quando o seu pequeno tem menos de 6 meses de vida. Uma dica é colocar no bebê uma camada a mais de roupa em relação ao que você está vestindo. Assim, se você estiver usando apenas uma camiseta de manga curta, vista seu bebê com uma de manga comprida. Durante o verão,use roupas feitas com tecidos como algodão, linho ou cambraia,que por serem mais leves e frescos não irão levar o bebê a transpirar. Durante o inverno,use roupinhas e casacos de lã ou malha.não agasalhe demais o bebe Quando for trocar o bebê, não o dispa totalmente, para depois vesti-lo de novo. Em vez disso, troque uma peça de roupa de cada vez, para evitar que ele fique todo despido e sinta frio. Saber quando o bebê está com muito frio ou muito calor requer que você verifique sempre sua pele e preste atenção aos sinais que o pequeno lhe dá. E evitar que ele esteja desconfortável com a temperatura é garantir que ele permaneça sempre saudável.

Como fazer o bebê engatinhar mais rápido

Seu pequeno irá lhe mostrar sinais de que está pronto, e você poderá ensiná-lo a engatinhar mais rápido

Todos os pais anseiam por ver seus bebês se desenvolvendo e começando a se tornar independentes, e um dos primeiros marcos desse desenvolvimento se mostra quando eles começam a engatinhar. Esse é um processo natural do crescimento, mas existem maneiras de estimular o seu pequeno para que ele comece a engatinhar mais rápido. O bebê normalmente aprende a engatinhar entre os 6 e os 10 meses de vida, embora não haja motivos para preocupação se o seu filho já atingiu essa idade e ainda não está se movendo sozinho. Se ele for um pouquinho mais pesado, ele pode demorar mais a engatinhar, por achar difícil sustentar o seu corpo. No entanto, você também pode lançar mão de alguns truques para fazer o seu bebê começar a engatinhar mais rápido. Apenas certifique-se de que ele esteja pronto para isso. Você irá saber se a hora chegou quando o pequeno já conseguir sustentar a cabeça, rolar no chão e se sentar. Veja aqui algumas dicas para ajudar o seu bebê a começar a engatinhar.
  1. Coloque o bebê de bruços
estimular bebe a  engatinharO bebê se sente muito confortável quando está de barriga para o chão, portanto coloque-o nessa posição e deixe que ele explore o chão. Essa atividade vai ajudá-lo a desenvolver as atividades motoras e o controle da cabeça, dos músculos dos braços e do pescoço. Deixe-o nessa posição por dois minutos no início, e abaixe-se ao nível dele para que ele se sinta mais confortável. Quanto mais ele ficar de bruços, mais rapidamente irá se sentar e engatinhar.
  1. Limite o tempo do seu bebê na cadeirinha ou no andador
É importante que o seu pequeno passe algum tempo sentado, mas você precisa estimulá-lo para que ele engatinhe. Você pode achar que o andador ajuda o bebê a andar mais rápido, mas isso não é verdade, porque o pequeno não está fazendo muito esforço quando está apoiado pelo andador. Quanto mais o bebê se movimentar sem se cansar, melhor.
  1. Ajude o bebê a ter força nas costas
É claro que o seu filho irá precisar da sua ajuda antes que consiga se sentar sozinho, e se ele tentar fazer isso, use a sua mão para sustentar as costas e a cabeça dele, fazendo com que fique reto. Isso será importante para que ele desenvolva os músculos necessários para manter a cabeça firme enquanto engatinha.
  1. Coloque o bebê em um lugar confortável
O local ideal para que o bebê comece a engatinhar deve ser confortável e macio, como o carpete, que deve ser forrado com um lençol, para evitar ferimentos nas mãos e nos joelhos. Se o seu piso for frio ou de madeira, coloque um cobertor no chão. Certifique-se de que o ambiente esteja bem iluminado, porque do contrário o bebê pode se sentir sonolento.
  1. Coloque um brinquedo ao alcance do bebê
Fale com ele e incentive-o a alcançar o brinquedo. Com isso, você perceberá que o pequeno fará movimentos para alcançar o brinquedo, e começará a explorar suas possibilidades de fazer isso. Só tenha cuidado para que ele não se sinta irritado e frustrado por não alcançar o brinquedo, porque isso pode interferir no processo de engatinhar.como ajudar bebe a  engatinhar Você não deve forçar o bebê a engatinhar se ele não estiver pronto, mas se perceber que a hora chegou, utilize esses métodos para fazer o seu pequeno começar a engatinhar mais rápido. Se você der o empurrão inicial, ele irá desenvolver o seu próprio ritmo e logo estará mais independente, explorando o mundo ao seu redor.

Meu bebê só quer colo – o que fazer?

0

Quando o bebê só quer colo, a mãe pode se sentir irritada; existem técnicas que podem ajudar

Se você é mãe de um bebê, deve estar familiarizada com isto: o pequeno só quer ficar no colo e põe a boca no mundo se é colocado no berço ou no carrinho. A verdade é que a maioria dos bebês passa por essa fase do colo, o que pode ser muito agradável para a mãe no começo, mas com o tempo se torna motivo de cansaço e até irritação. Isso ocorre porque as mães têm vários afazeres, e precisam dividir o seu tempo entre cuidar de seus recém-nascidos e se dedicar às obrigações. E quando os pequenos querem apenas ficar no colo, elas encontram dificuldades até mesmo para tomar um banho ou lavar uma pequena quantidade de louça. É claro que dá para compreender o motivo da irritação. Se o seu bebê está passando por essa fase, tenha muita paciência e se prepare – é muito provável que um período muito difícil para ambos esteja começando. No entanto, existem alguns truques que você pode utilizar para mudar esse hábito, contanto que seja persistente. No começo é possível que você se sinta até culpada, porque terá de ouvir o seu beber chorar sem parar e irá sentir seu coração apertado. Mas persista, porque o resultado será uma maior independência para você e para ele. Aqui estão algumas dicas para desacostumar o bebê com o colo.como acostumar bebe a ficar sem colo
  1. Em primeiro lugar, verifique se o bebê não está com algum problema, como cólica ou refluxo. Se ele estiver se sentindo incomodado, ficará mais aliviado no seu colo e não irá querer ficar em outros locais. Se você conseguir aliviar seu desconforto, ele se sentirá melhor no berço, no carrinho ou no cercadinho.
  2. Certifique-se de amamentar o pequeno e trocar suas fraldas sempre que for necessário. Se ele estiver com fome ou incomodado pela fralda molhada, irá naturalmente chorar, porque essa é a maneira dele de se comunicar com você. Isso fará com que você acabe pegando-o no colo.
  3. Use um canguru, que pode ser muito útil quando for inevitável ficar com o bebê no colo. Isso deixará suas mãos livres para realizar outras atividades.
  4. Coloque o bebê na cama, no carrinho ou em um cercadinho e dê brinquedos a ele, para que entenda que ficar em outros lugares pode ser divertido também,e que não precisa do seu colo o tempo todo. Procure sempre falar com ele quando não estiver no seu colo, mesmo que de longe, para que ele se sinta seguro.bebe no colo
  5. Peça a ajuda de amigos, familiares ou até de uma babá, para que cuidem do recém-nascido enquanto você tira um tempo para si mesma. Isso irá ajudá-lo também, porque ele entenderá que você sempre voltará para cuidar dele, independentemente de ter estado ausente por algum tempo.m
  6. Mude o foco da atenção do pequeno para um brinquedo ou outro objeto até que ele aceite sair do seu colo. Vale utilizar um DVD para recém-nascidos, um móbile no carrinho, música para acalmar bebês ou mesmo uma cadeirinha vibratória.
Toda mãe sabe o que é melhor para o seu bebê, mas algumas vezes é necessário utilizar algumas técnicas e ser bastante paciente, especialmente quando o pequeno só quer ficar no colo. Acredite, uma maior independência será benéfica não apenas para você, mas para o seu bebê também. Afinal de contas, ele precisa estar preparado para crescer e se tornar uma criança feliz e segura.