O que faz um bebê recém-nascido

cuidados recém nascido

O que faz um bebê recém-nascido – O bebê já nasce com os sentidos apurados e consegue enxergar objetos próximos de seu campo de visão

As mamães e papais ficariam abismados se soubessem que seu bebê recém-nascido é muito mais esperto e sensível do que eles acreditam. Seu desenvolvimento começa desde o primeiro minuto de vida e ele já nasce com quase todos os sentidos apurados – ele enxerga, ouve e sente cheiros.

E é exatamente por isso que ele chora tanto ao sair da barriga da mamãe – as luzes fortes, as vozes das pessoas e os ruídos do centro cirúrgico o incomodam profundamente, e o cheiro dos desinfetantes agridem o seu delicado olfato, assim como todas as mãos que o estão tocando o deixam bastante assustado.

Existem vários estudos que comprovam que os recém-nascidos sentem gostos e que, inclusive, preferem coisas doces a amargas, embora a única coisa que eles consumam seja o leite materno. Além disso, embora eles fiquem com os olhinhos fechados quase o tempo todo, eles conseguem ver objetos e rostos que estão próximos ao seu campo de visão. A visão dos bebês fica bem clara logo nos seus primeiros dias de vida, atingindo de 15cm a 20cm de distância.

Parte dos sentidos dos bebês já está formada antes mesmo que eles nasçam. Por exemplo a audição, que se forma no 5º mês de gravidez, motivo pelo qual especialistas incentivam as mães a conversarem com seus bebês ainda na barriga. As crianças respondem aos estímulos sonoros desde o momento em que nascem. Se forem expostas a altos ruídos, elas tendem a atirar o corpo para trás e sua respiração se acelera.

O olfato dos bebês também já está completamente desenvolvido quando eles nascem, e assim que saem da barriga das mães eles são capazes de sentir cheiros agradáveis e ruins. Para não agredir seu olfato, o ideal é não usar perfume e evitar a utilização de produtos de limpeza com odores fortes nos ambientes da casa.

O que muitos pais veem como mera birra pode ser, na verdade, uma manifestação da inteligência dos bebês. Por exemplo, o recém-nascido demonstra suas vontades chorando quando está com sono ou com a fralda suja, bem como mordendo o bico do seio da mãe quando não consegue abocanhá-lo para mamar e agitando os braços e as pernas quando está irritado. Essas são as suas estratégias para demonstrar suas vontades.

No que diz respeito à coordenação motora, os bebês não são capazes de sustentar a cabeça, sentar e ficar de pé, e é por isso que sua coluna vertebral é reta. As curvaturas cervical, dorsal e lombar só aparecerão à medida que eles forem capazes de se sustentar em posição sentada.

primeiros dias de vida recém-nascidoMas isso não significa que eles não apresentam movimentos motores – eles jogam os braços, choram, se torcem, viram a cabeça de um lado para o outro, fecham as mãos, se encolhem, buscam o bico do seio e sugam, entre outras coisas, já em seus primeiros dias de vida.

Ao final de um mês, seu filhote já será capaz de levantar um pouco a cabeça quando estiver de bruços e também conseguirá virá-la de um lado para o outro. Os movimentos bruscos do início irão dar lugar a outros mais delicados com o amadurecimento do sistema nervoso e do controle muscular.

Lembre-se: o bebê recém-nascido esta se ajustando a um mundo novo, bastante diferente daquele ambiente de conforto e de proteção do útero materno.Por isso, eles gostam de ser embrulhados, ou seja, de ficar envoltos de forma mais firme por um cueiro ou manta, como se estivessem no “charutinho” de antigamente.

Seus padrões de sono também são intermitentes. A maioria dos recém-nascidos dorme até 17 horas por dia, em blocos de cerca de oito horas. Depois de um mês de vida, eles atingirão uma certa regularidade na alimentação e no sono, embora provavelmente leve meses até que você consiga notar esse tipo de padrão.

O choro é a principal forma de comunicação do seu recém-nascido. Logicamente que seu temperamento e sua personalidade ainda não estão formados, mas isso não significa que ele não tenha como se expressar da única forma que sabe: chorando.

A maior parte do seu tempo é passado entre os diversos estágios do sono e os estados de alerta ou tranquilidade. Com o passar do tempo e com os estímulos que recebe, o bebê consegue organizar melhor suas etapas de sono, e vai “guardar” períodos de sono maiores para a noite.

Muitas vezes os pais não têm noção disso, mas o parto é um momento de grande trauma para o bebê recém-nascido, e em seguida, já fora da segurança da barriga da mãe, ele tem de aprender a lidar com todos os estímulos a que é submetido.

Por isso é tão importante que a mãe o segure e converse com ele com uma voz muito calma e suave, porque isso faz com que ele se acalme e fique sereno. Pode até ser que ele emita algum som ao ouvir a voz da mãe e vislumbre o seu rosto.

A visão é um dos sentidos do bebê que se desenvolve muito pouco no útero. Ela ainda é bastante imprecisa depois do nascimento, mas mesmo assim o rosto da mãe é a coisa mais interessante do mundo para o bebê. O alcance da visão é de apenas 30 centímetros, em média. Isso significa que a criança consegue ver claramente o rosto de alguém que a segura, mas não mais que isso.

Estudos já comprovaram que os recém-nascidos preferem a face humana a qualquer outro desenho ou cor, e esse é mais um motivo pelo qual a mãe deve segurá-lo bem perto de seu rosto e falar baixinho com ele. Não se assuste se parecer que ele fica“vesgo” de vez em quando. O estrabismo nessa fase só preocupa se for constante, mas não ocasional.

Durante os primeiros meses de vida, a criança não movimenta os braços intencionalmente para tentar alcançar objetos específicos – isso só vai acontecer nos próximos meses, por volta dos 4 meses de idade. Mas colocar um brinquedo com penduricalhos (ou móbile)no berço de seu filhote, com diversas formas para ele olhar, tocar e ouvir, irá permitir que ele exercite a coordenação de seus braços, mãos e dedos, além de deixar a posição deitada um pouco menos chata.

Veja Também →  O que faz um bebê de 1 mês

O que faz um bebê recém-nascido – Lembre-se: cada bebê é diferente do outro e atinge os marcos de desenvolvimento físico no seu próprio ritmo. O que você viu aqui são apenas algumas referências das etapas que seu filho tem o potencial para alcançar – se não agora, em pouco tempo. Em caso de dúvidas sobre o desenvolvimento do seu bebê recém-nascido, converse com o pediatra.