Gases colica ou fome? Como saber o que meu bebê está sentindo?

Comece a prestar atençao no choro – e procure perceber a diferença entre os choros.

Tipos de choro

É normal que no começo haja dúvidas em relação ao que o bebê está precisando quando está chorando. Pode ser complicado perceber a diferença entre os tipos de choro que podem ser emitidos pelo bebê nos seus primeiros três meses de vida.

Existem diferenças entre o som, podendo ser avaliado os reflexos da criança na hora em que chora para saber o que o está incomodando.

Choro de fome e/ou sede

É normal que os pais tenham dificuldades na hora de alimentar o bebê nos primeiros dias. Afinal, ainda estará aprendendo a como alimentá-lo. Quando está com fome, mostra certos indícios de que está com fome: chupar o dedo, abrindo e fechando as suas mãos. O choro é comprido, sendo necessário verificar a ultima hora que mamou para alimentá-lo

Choro de carência 

Ele pode ficar carente, sentir falta de atenção e ficar inseguro. Nesse caso, o choro é mais birrento e nervoso. Para que ele pare, basta brincar  

com ele, que nos primeiros dois meses, ele precisa de conforto e segurança. Outra coisa que pode ajudar é colocá-lo no colo ou em uma bolsa canguru.

Choro de dor

A dor pode ser por causa de uma batida ou por estar doente ou com infecção. Quando uma parte de seu corpo dói, o bebê, normalmente, aponta o local que está dolorido. 

Choro porque está desconfortável 

A criança pode se sentir desconfortável por causa de uma roupa apertada, a posição em que se encontra, etc. Quando se sente assim, o choro é irritado e ele movimenta seu corpo. Para cuidar dessa situação, é só retirar o que o está incomodando e, de vez em quando, virar o seu corpo dentro do berço.

Choro de manha

Aos nove meses, a criança começa a entender que, ao chorar, consegue comida, trocar as fraldas, etc. Assim, ele aprende a usar o choro para ter aquilo que deseja. Nesse caso, o choro fica mais irritado. Se o que ela está pedindo não é necessário, não deve ganhar só porque chorou. Como criança começa a engatinhar, o espaço dela é limitado, e se ela ter o que quer só por chorar, saberá que consegue o que deseja por meio da birra.

Choro por susto ou medo

O bebê pode ficar assustado com barulhos repentinos. Aos nove meses, a sua visão melhora e, por isso, já estranha pessoas desconhecidas. Nesse caso, a reação é espontânea e choro pode ser acompanhado de pequenos saltos e berros. Para acalmá-lo é só o pegar no colo e fazer carinhos para que se acalme.

Choro por causa do dente 

A criança baba mais e procura colocar tudo o que vê na boca e passa a querer comer menos. As suas gengivas ficam vermelhas e inchadas e ele choraminga muito. Para acalmá-lo, lhe dê um mordedor para que a gengiva se rasgue ou use pomadas para isso. As gengivas devem ser escovadas por meio de gaze ou toalha molhada para higienizar e aliviar a coceira.

Choro por cólica

A cólica pode ficar mais forte até os 3 meses, ocorrendo mais frequentemente depois das mamadas e no início da noite. Quando ele tem cólica, enruga a testa, o abdome fica distendido e o choro é mais agudo e prolongado. Ele irá se sentir melhor com uma massagem, esticando e encolhendo as pernas dele. 

Choro de calor ou frio

Quando está chorando de calor, a criança sua e fica molhada na raiz do cabelo, podendo estar mais pegajosa e com brotoejas. Quando está com frio, as extremidades ficam geladas, como dedos das mãos e dos pés. Em ambos os casos som é alto. Para resolver é só tirar ou colocar roupas até o nariz e as bochechas ficarem mornos.

Choro de sono 

O choro é alto e nervoso, sendo preciso acalmá-lo. Para isso, é diminuir as luzes, deixar o ambiente tranquilo, balança-lo e cantar uma suave canção. 

Choro de fralda suja

Quando a sua fralda está suja, o bebê chora e se retorce porque a pele fica irritada e ardida. Nesse caso, é preciso verificar a fralda e trocá-la e usar pomada contra as assaduras.