Frutas que aumentam a fertilidade

Fertilidade é a capacidade dos seres vivos de se reproduzir por um “tempo razoável”. Portanto, a infertilidade é a perda dessa capacidade. O que comemos influencia por isso, frutas que aumentam a fertilidade podem ser de grande ajuda para engravidar.

Uma alimentação equilibrada é essencial para o bom funcionamento de qualquer sistema do corpo e, o sistema reprodutivo não é exceção.

Embora não haja estudos nos quais essa afirmação seja reforçada, é sabido que a falta de energia ou de certos nutrientes tem um impacto negativo no nosso corpo

Por esse motivo, além da recomendação de alcançar um peso adequado para evitar problemas de saúde, uma alimentação balanceada é recomendada para ambos os parceiros que querem ter um bebê

Frutas coloridas para aumentar a fertilidade

As frutas são alimentos que temos facilmente acesso no dia a dia e é bastante prazeroso consumi-las. Para aumentar a fertilidade, prefira frutas vermelhas como ameixa, cerejas, romã, morangos etc. e também, coma laranja. Essas frutas são ricas em vitaminas e oligoelementos essenciais para a reprodução. 

Os destaques vão para os morangos e laranjas, que contêm a coenzima Q10 e vitamina C; a romã, com grande poder antioxidante e frutas vermelhas, ricas em resveratrol.

Outros alimentos para reforçar a fertilidade

Há outros alimentos que juntos com as frutas aumentam a fertilidade e se tornam mais uma excelente opção para você inclua na alimentação se desejar engravidar.

Nozes e sementes

É aconselhável sempre incluir nozes e sementes na alimentação, se você estiver procurando ter um bebê, porque esses alimentos são ricos em oligoelementos e ômega 3, um ácido graxo essencial que participa ativamente da fertilidade.

Vegetais de folhas verdes

Quase todos os vegetais de folhas verdes fornecem substâncias essenciais para a nossa reprodução. Recomenda-se consumir sempre frescos ou cozidos no vapor. Eles também fornecem ácido fólico, elemento essencial antes da gravidez e também no primeiro trimestre.

A ingestão de folatos juntamente com complexos multivitamínicos durante a gravidez (desde que não contenham vitaminas lipossolúveis acima das doses diárias recomendadas) reduz a incidência não apenas de defeitos do tubo neural, mas também de malformações cardíacas, urinárias, orofaciais, de membros e malformações. 

No entanto, consumo de ácido fólico não impede todos os defeitos do tubo neural, porque existem alguns que não estão relacionados ao déficit de ácido fólico, mas com anormalidades cromossômicas ou diabetes mal controlado.  

Além disso, exceto em casos excepcionais, geralmente é um erro suplementar o ácido fólico em mulheres saudáveis ​​que desejam engravidar. Qualquer mulher com uma alimentação balanceada terá ácido fólico suficiente.

Cereais integrais

Os cereais integrais não apenas têm uma absorção mais lenta que os refinados, diminuindo os picos de glicose no sangue, como eles também fornecem, entre outros compostos, selênio e L-arginina, oligoelementos e aminoácidos necessários para a fertilidade.

Peixe azul

É essencial que os homens cuidem da alimentação, começando por reduzir o excesso de peso e o colesterol. Além das frutas que fornecem vitaminas necessárias para eliminar substâncias oxidantes que destroem o DNA do esperma, as nozes e sementes têm ômega 3 e os peixes gordurosos também fornecem esse ácido graxo essencial para a reprodução.

Especialistas também recomendam, no caso dos homens, fazer a ingestão de proteínas em carnes, ovos ou laticínios, que fornecem coenzima q10, L-carnitina e N-acetilcisteína, todos necessários para uma boa qualidade seminal.

Mexilhões e peixes azuis e outros alimentos como o sal iodado fornecem iodo, essencial para o sistema reprodutivo.

Fatores que contribuem para a infertilidade

Embora as frutas junto com outros alimentos possam ajudar a melhorar a fertilidade o fator chave para melhorar a probabilidade de uma gravidez é outro, e não tem nada haver com alimentação, que é a idade.

Pode-se dizer que uma mulher de 30 anos tem metade da fertilidade de uma mulher de 20; a de 35 a quarta parte e a de 40 a oitava parte de 20. Para esse tratar esse fator a alternativa que se tem é o congelamento de óvulos e paciência.

No entanto, olhando para a questão alimentar o álcool e a cafeína fortalecem a infertilidade. Álcool está associado aos piores resultados relacionados a reprodução e a cafeína parece causar maior incidência de aborto e uma menor taxa de recém-nascidos vivos nos ciclos de fertilização in vitro com o consumo de altas doses.