Desenvolvimento do bebê nos primeiros meses

O crescimento e desenvolvimento de um bebê é um momento mágico que precisa ser aproveitado ao máximo. Os pais não precisam ter pressa, até, porque o desenvolvimento do bebê não pode ser apressado.

Bebê no primeiro mês

Com 1 mês de vida, o bebê, ainda, não controla os olhos, sendo que a visão é o sentido menos desenvolvido, e a criança tem dificuldade de focalizar objetos. As imagens são embaçadas e duplas, fazendo o olhar do bebê ser atraído por objetos em movimento com cores contrastantes. Com 3 dias, já reconhece a voz da mãe e com 20, emite sons em resposta e vira a cabeça em direção ao barulho.

Bebê no segundo mês

Durante o 2º mês, ele já mostra sorrisos, pois o seu desenvolvimento psíquico e afetivo da criança já estão se formando e aparecem os primeiros sinais. Isso acontece independente do olhar e da receptividade dos pais. Ele já consegue levantar o queixo, com reflexo de virar o rosto de lado se colocado de bruços quando acordado.

Bebê no terceiro mês

Aos 3 meses de idade, a boca é a principal forma de aprender sobre o mundo. Ele já consegue levar as mãos à boca e, também, brinquedos moles que já consegue pegar. Os movimentos reflexos continuam a diminuir, a coluna está mais ereta, o bebê consegue erguer a cabeça, o tronco, esticar os braços e mexer a cabeça à procura de objetos e sons.

Bebê no quarto mês

Nessa fase, o bebê já dorme praticamente a noite inteira e no dia está mais ativo e sorri bastante. A boca, ainda, é a principal forma de conhecimento e aprendizado. Ele já consegue visualizar objetos em até 180 graus, tenta pegar brinquedos e passá-los de uma mão para outra.

Bebê no quinto mês

Ele consegue girar a cintura e está perto de sentar. Seus braços e pernas já estão mais ágeis, estão mais agitados na hora do banho, fazendo movimentos rítmicos e voluntários. Já fica em pé quando é segurado na cintura.

Bebê no sexto mês

Com este tempo de vida, o bebê começa a sentar com apoio de travesseiros e almofadas. Com os brinquedos por perto, ele tenta pegá-los, estimulando o aprendizado do equilíbrio. A criança interage mais com o ambiente, não gosta de ficar sozinha e sorri quando alguém conhecido vem, esticando os braços e com as pernas estendidas quando deita de bruços.

Bebê no setimo mês

O bebê já pode ter começado a engatinhar e rolar pelo chão, ficando mais retraído com pessoas estranhas. O seu choro é mais intenso e agudo, falando palavras que possuem entendimento. A sua memória já está bem desenvolvida e já tem a capacidade de memorizar.

Bebê no oitavo mês

Com os seus 8 meses de vida, a criança já tem um maior controle do corpo e descobrindo o seu equilíbrio com confiança. Ele consegue sentar e engatinhar, sendo importante ter cuidado com pisos muito escorregadios, rampas e escadas. Ele já consegue reconhecer o próprio nome e volta a sua atenção quando é chamado. Também, pode imitar os gestos de outras pessoas.

Bebê no nono mês

O bebê já distingue tons, nuances de cor e formatos, e estão enxergando tão bem quanto um adulto. Os brinquedos com cores fortes e vibrantes chamam mais a atenção, gosta de barulho, música e conhece a relação causa/efeito. Ele já está se preparando para os primeiros passos, ficando mais firmes nos pezinhos quando é levantado ou se apoia nos móveis. Alguns já começam a andar, mas tudo vai de acordo com cada criança.

Bebê no decimo mês

Nessa idade, quando é repreendido, ele sabe que é errado e que não deve fazer isso e não vai continuar. Ele já atende quando é chamado e pode sentir ciúmes se a mãe ou pai pega outro bebê no colo. Se ainda não começou a andar, provavelmente começa a tentar se levantar enquanto engatinha.

Bebê no decimo primeiro mês

Com 11 meses, o bebê já pode estar andando e caminhando sendo que já entende o que pode e não pode fazer quando é repreendido e que não deve repetir. As palavras faladas em repetição são apreendidas e começa ser necessário impor limites.

Bebê no décimo segundo mês

Ele já pode estar andando, mas o importante é que esteja tentando firmar as pernas e sendo bem-sucedido, podendo ser conduzido pelas mãos.