Cocô do bebê – O que é normal?

Mudanças no leite materno, infecções intestinais ou problemas no estômago podem mudar a aparência das fezes de um bebê, sinalizando alteração no seu estado de saúde.

Flora intestinal

O intestino começa a se formar já na quarta semana de gravidez, sendo que não será usado enquanto o bebê estiver no útero. Ele começa a funcionar quando o recém-nascido passa pelo canal vaginal, fazendo um contato direto com os microrganismos da flora intestinal da mãe.

O desenvolvimento das bactérias dos bebês nascidos de parto normal é melhor do que as crianças que nascem de cesariana, contribuindo para a nutrição e para a imunidade. Quem nasce de parto normal tem menos chances de se tornarem obesos quando forem adultos.

Primeiras fezes

O leite materno é rico em carboidratos e prebióticos que mantém a flora intestinal equilibrada. As primeiras fezes são chamadas de mecônio, com uma textura mais pegajosa, indo do verde-escuro até o quase preto. Por volta do quinto dia do nascimento, a cor vai se tornando mais clara, indo do amarelado ao marrom, com textura entre líquida e pastosa.

O cheiro das fezes mostra quanto tempo ficou dentro do intestino. Quanto mais contato com as bactérias do organismo ele tiver mais forte é o cheiro. Durante as mamadas exclusivas do leite de peito não, o cheiro não é tão ruim quanto os que tomam fórmula ou alimentos sólidos.

Já para a frequência de evacuação, não existe uma regra geral, porque existem bebês que fazem cocô depois de cada mamada e outros que podem demorar até sete dias para liberar as suas fezes.

Doenças que mudam o cocô do bebê

Cor

As mudanças de cor das fezes do bebê estão ligadas a quantidade de tempo que os alimentos levam para passar pelo intestino, ao tipo de alimentação ou a problemas de saúde.

As fezes amarelas são as normais para o bebê, principalmente para os que só se alimentam com leite materno. No caso dos que são alimentados com fórmula láctea, devem apresentar a cor amarelo escura, mais próximas da cor marrom. O cocô de cor amarela só são preocupação na forma de diarreia.

As fezes verdes costumam aparecer na primeira semana de vida ou quando a alimentação é exclusiva de leite materno, com uma tonalidade verde clara. Porém, ela, também, pode aparecer por causa de uma infecção, mudança do leite, intolerância a alimento ou uso de medicamentos. Um cocô esverdeado brilhante, com textura de espuma, pode indicar que o bebê está sugando só o início da mamada do peito, que possui mais água.

Após a segunda semana de vida ou se o tom verde ficar mais forte, é preciso fazer uma consulta com um pediatra para descobrir qual é o problema. Em relação às fezes esverdeadas espumosas, o bebê precisa secar toda a mama antes de ir para o outro peito, para conseguir absorver a gordura e as calorias necessárias do leite.

As fezes brancas podem ser sinal de problemas de má digestão por causa da falta de bile, que é um líquido produzido pelo fígado para a digestão das gorduras que causam a cor escura delas. Se a cor ficar por mais de 2 ou 3 dias, é preciso ir a um pediatra, porque o bebê pode estar com algum problema no fígado, podendo levar à perda de peso por má digestão.

As fezes podem ficar vermelhas devido ao aumento no consumo de alimentos como a beterraba, feijão ou amora. Mas, é preciso muito cuidado, porque pode ser sinal de que há sangue no trato intestinal, que pode ser provocado por infecção intestinal, prisão de ventre, hemorroidas ou alergia alimentar, sendo necessário procurar um pediatra o mais rápido possível para identificar a presença e a causa de sangramentos intestinais.

Já a cor marrom escura pode aparecer por causa de lesões no trato intestinal ou sangue de feridas nos seios da mãe, que acaba sendo ingerido pelo bebê. Porém, pode, também, ser o sinal de que o bebê está tomando suplementos alimentares que escurecem as fezes. No caso do bebê que toma suplementos, a mudança de cor é normal, precisando só observar se melhoram no fim da medicação. Mas, se não possui causa aparente, deve-se procurar logo o pediatra.