Bebe com muitos gases, o que fazer?

Os gases são algo comum e natural nos recém-nascidos, porém alguns têm maior facilidade em soltá-los para fora do que outros. Como comem toda hora, os bebês conseguem produzir uma quantidade ilimitada de gases. 

Eles podem ficar desconfortáveis quando ficam acumulados gases que precisam sair. Mas isso é raro.

O que é cólica?

As cólicas são contrações nos músculos que ficam na área abdominal e que fazem parte do desenvolvimento do bebê. Elas ocorrem devido ao acúmulo de gases. Aparecem nos primeiros três meses, pois é o período em que o organismo ainda está se acostumando a digerir o leite e o sistema digestivo não está completamente formado. 

No terceiro mês de nascimento, a criança termina o seu ciclo de 1 ano contando o período em que esteve no útero. No 4° mês, ele não é mais um recém-nascido e a flora intestinal está completamente formada e o sistema digestivo funciona melhor. Nesse momento, as cólicas deixam de aparecer.

Intolerância ao leite de vaca que a mãe bebe pode ser o problema

Uma das principais causas do excesso de gases em bebês é a intolerância à lactose, sendo mais comum nos pequenos do que nos adultos. Todas as pessoas nascem com a capacidade de digerir a lactose, porque o nosso corpo produz a lactase. Quando um bebê não produz a quantidade suficiente dela ou não produz nenhuma, ele tem intolerância à lactose. 

Os gases são um dos principais sintomas que vão aparecendo de acordo com a quantidade de leite materno ou de alimentos com lactose consumidos. Por isso, antes de medicar o bebê, é importante analisar a situação para saber se os desconfortos estão ligados à intolerância ou não.

APLV ou intolerância à lactose

É comum confundirem a APLV (Alergia à Proteína do Leite de Vaca) com a intolerância a lactose, mas eles são diferentes. A intolerância à lactose é a dificuldade em digerir a lactose, enquanto que a alergia ao leite acontece devido a uma reação alérgica à proteína que existe nele.

Os sintomas também são diferentes, quem possui intolerância pode ficar com a barriga distendida, com acúmulo de gases e dor abdominal; já quem for alérgico, além dos gastrointestinais, também, apresenta problemas na hora de respirar e na pele.

Ambos podem aparecer mesmo que o bebê só esteja ingerindo o leite materno, pois ele contém tanto lactose quanto proteínas do leite de vaca, se ela consome leite de vaca e seus produtos derivados.

Diagnóstico de intolerância à lactose

Para diagnosticar se há um quadro de intolerância, recomendado seguir uma dieta restritiva sem lactose por alguns dias. Se os sintomas sumirem, significa que o bebê tem intolerância à lactose. Mas, também podem ser realizados exames, com coleta de sangue e outros exames desconfortáveis para ele.

Quando ocorre a confirmação é necessário fazer algumas mudanças na alimentação. Caso o bebê se alimenta só de leite materno, a mãe precisa cortar os alimentos que possuem lactose e fazer substituições, que são facilmente encontradas nos mercados para comprar.