Até qual idade deve ser feita a amamentação?

idade certa para amamentação

Organização Mundial de Saúde diz que tempo mínimo de amamentação deve ser até os 6 meses de vida

A amamentação é fundamental para a saúde dos bebês e pode evitar muitos problemas de saúde e até a morte prematura de crianças. Por conter anticorpos, o leite materno fortalece o sistema imunológico dos bebês, e por esse motivo a amamentação deve ser feita até pelo menos os seis meses de vida dos recém-nascidos.

A recomendação é da Organização Mundial de Saúde e da Sociedade Brasileira de Pediatria, que dizem que a amamentação pode prosseguir até os dois anos de idade da criança ou mais, se a mãe desejar continuar dando o peito juntamente com uma dieta sólida.

A Unicef (Fundo das Nações Unidas Para a Infância) estima que seria possível evitar a morte de cerca de 300 mil crianças por ano em todo o mundo se elas fossem exclusivamente amamentadas durante seus primeiros seis meses de vida, o que mostra a importância do leite materno no desenvolvimento dos pequenos.

amamentação fortalece a imunidade

A introdução de outros alimentos antes dos seis meses de idade é inadequada e pode inclusive ser prejudicial para o bebê, levando ao aparecimento de infecções, alergias e obesidade, além de doenças degenerativas e metabólicas, leucemia e problemas dentários.

A partir dos seis meses, a mãe pode começar a introduzir papinhas e frutas amassadas, mas nada impede que ela continue dando o peito ao bebê. O tempo “extra” de amamentação continua proporcionando benefícios à saúde dos pequenos, ajudando a evitar problemas como a obesidade.

A amamentação prolongada é uma decisão de cada família, e é possível amamentar até que a criança não queira mais pegar o peito. Se, no entanto, a mãe optar por parar de amamentar depois do período mínimo de seis meses e a criança continuar procurando pelo peito, ela deve redirecionar a atenção dela à papinha. Se a criança já tiver cerca de 2 anos, é importante explicar a ela o motivo de não dar mais o peito.

Independentemente de sua decisão sobre quando deixar de amamentar, lembre-se de que a partir dos seis meses de vida o bebê necessita da introdução de alimentos sólidos e pastosos, que deve ser feita gradualmente, até que a mama seja completamente substituída.

Uma orientação importante de pediatras é que as mães não usem a amamentação prolongada como pretexto para manter seus bebês dependentes delas. Incentivar a independência das crianças é uma das responsabilidades dos pais, porque elas precisam de independência e de incentivo para adquirir equilíbrio emocional.

Portanto, amamente o seu bebê até no mínimo os seis meses de vida e certifique-se de que a alimentação dele seja adequada após esse período, sem doces ou alimentos processados, mas com alimentos naturais e saudáveis. A amamentação que ocorrer após esse período será benefício para as crianças e para os pais.