As coisas que ninguém te conta da parto cesárea

Sangramento vaginal 45 dias

O sangramento pós-parto é algo natural, que ocorre com todas as mulheres que acabaram de ter um bebê, e que precisam que o útero volte ao seu tamanho normal. Nesse processo todo o sangue que foi usado para envolver o útero na gestação é eliminado em um período de 3 a 6 semanas após o parto.

O sangramento começa logo depois do parto, possuindo uma cor de sangue vivo com coágulos e resíduos do útero. Conforme o útero vai reduzindo de tamanho, e cor vai ficando menos intensa chegando à cor rosa e depois ao amarronzado.

Nesse período, a nova mamãe necessita de repouso, evitando esforço físico e se alimentando de forma adequada.  

É importante ficar atento para qualquer mudança no sangramento. Se ele ficar muito intenso, e aparecerem coágulos grandes, cheiro ruim febre ou calafrios, significa algo está errado e deve procurar por um ginecologista.

O sangramento vaginal no parto e na cesariana normalmente dura cerca de 45 dias.

Cólicas

Muitas mães de primeira viagem se preocupam com as cólicas que aparecem após do parto. Mas é normal que a mulher sinta durante a contração do útero. Quando o incomodo amamenta, é liberado a ocitocina, que é um hormônio que ajuda a fazer com que o útero volte para o tamanho que tinha antes da gestação e para estimular a produção do leite. 

Ela é parecida com a cólica menstrual e, depois que acabar a quarentena, a menstruação irá voltar. Caso a nova mãe estiver amamentando o seu bebê com leite materno, a menstruação só irá recomeçar por volta de 60 dias depois do parto.

Outra coisa que preocupa as mulheres que deram à luz é a looquiação. Ele é um sangramento que acontece durante a cicatrização do útero depois da gestação. A menstruação vem do endométrio, que prepara o corpo da mulher para receber o bebê, e, que quando não fecunda, o tecido é eliminado. A loquiação vem da área em que a placenta ficou, fora do útero. Enquanto ficar algum pedaço da placenta, o útero vai continuar a sangrar

Dores abdominais

Assim que a criança nasça, a placenta é eliminada e o útero começa a se contrair com força para fechar os vasos sanguíneos que foram abertos na parede do útero. Nesse local a parede é semelhante a uma ferida aberta que deve ser cicatrizada

As contrações ou “dor pós-parto” ocorrem na área abdominal e causam fortes cólicas nos primeiros dias. Esta sensação pode aparecer enquanto a mãe está amamentando, devido ao estímulo dos mamilos. Mas, apesar de ficar doloridas, essa é a forma dele se curar mais rápido. Os analgésicos podem ajudar, quando as cólicas ficam mais fortes. As contrações do pós-parto fazem ajudam o útero à voltar ao tamanho normal. 

Sendo parto normal ou cesárea, é bem provável que ocorra uma incisão que deverá ser cicatrizada. No caso do parto vaginal, provavelmente haverá uma episiotomia para alargar a abertura vaginal e, assim que a cabeça do bebê, aparece, o local é fechado com pontos. A cura da episiotomia leva algumas semanas. 

Quando o parto for uma cesárea, é feita uma incisão no abdômen que demora mais tempo para curar, indo de quatro a seis semanas, em que provavelmente será preciso tomar analgésicos. No começo pode ser indicado um analgésico narcótico. Os pontos que não são absorvidos pelo corpo, serão retirados cinco dias após o parto.

O trabalho de cura do útero pode durar por até 10 dias. 

Sem atividades sexuais por 45 dias

O período de 40 a 45 dias após o parto é conhecido como quarentena, e é o tempo que o corpo leva para voltar a ser como era antes da gravidez. Todas as mudanças fisiológicas começam a retroceder. Independentemente do tipo de parto, a mulher precisa ficar sem relações sexuais durante o período, com exceção o parto normal, sem nenhuma laceração vaginal. 

É recomendado que a mulher fale com um obstetra antes de começar a fazer sexo novamente. Na consulta, ele irá avaliar como está indo a amamentação, o humor e também a cicatrização. Também, é preciso conversar sobre os métodos contraceptivos compatíveis com a amamentação e os planos.