Alergia a fralda? O que fazer?

dermatite

A alergia ou dermatite de fralda é muito comum, mas pode ser tratada facilmente com soluções caseiras

A alergia de fralda, que os médicos chamam de dermatite, nada mais é do que uma assadura mais severa que o bebê desenvolve ao usar fraldas comuns, especialmente até os 2 anos de idade. Embora existam diversos fatores que podem provocar o aparecimento do problema, também há várias soluções caseiras para fazer a delicada pele do bumbum do bebê voltar ao normal.

Essa irritação cutânea é mais frequentemente provocada pela exposição prolongada da pele à umidade do xixi e ao cocô – ou seja, seu principal motivo é a troca muito espaçada das fraldas. O ideal é fazer a troca a cada três horas, porque o bebê geralmente urina a cada hora e faz cocô em média a cada duas ou três horas.

alergia e dermatite

A mistura do cocô com o xixi aumenta o pH da região do bumbum e ativa enzimas das fezes, que são conhecidas como lipases e proteases. Quando ativadas, elas irritam a pele e a tornam mais propensa à infecção por um fungo chamado de cândida. Isso ocorre especialmente nas crianças que apresentam diarreia. A cândida penetra na pele e causa coceira, ulcerações e ardor intenso, e o bebê se sente extremamente incomodado por isso.

Outras causas podem ser os fatos de a fralda estar muito apertada e de o bebê ter alergia a produtos como lenços umedecidos, sabonetes, pomadas para assadura com aroma ou outro produto utilizado para a fazer a higienização do bumbum entre as trocas de fraldas.

Quando a alergia ou dermatite ocorre, a barreira natural da epiderme (camada superficial da pele) fica muito mais sensível ao aparecimento de outros problemas, como brotoejas e até pequenas descamações com sangramento. A imunidade do bebê também pode baixar, tornando-o mais vulnerável ao surgimento de outras doenças.

Essa irritação cutânea, que começa apenas com uma vermelhidão no bumbum, pode inclusive se espalhar para a virilha e as coxas da criança, transformando-se em úlceras e em infecções secundárias, o que irá causar bastante dor, desconforto e sofrimento à criança.

Uma das formas mais fáceis de identificar a alergia ou dermatite de fralda é observar a vermelhidão na pele do bumbum do pimpolho. Os sinais podem aparecer ainda em forma de bolinhas vermelhas ou manchas brancas com focos de descamação – isso quando já começou a haver infeção por fungos (que os médicos denominam candidíase).

fralda-hipoalergênica

É claro que, se preferir, você pode levar seu filhote ao pediatra ou ao dermatologista imediatamente, mas existem muitas soluções caseiras bem efetivas para eliminar o problema, e nós vamos ver algumas delas aqui. Se, no entanto,os sintomas persistirem, aí sim não hesite em procurar o médico para fazer o tratamento mais adequado aos sintomas. Veja aqui algumas dicas do que fazer em casa.

  1. Evite a acidez da urina

A urina que tem alta acidez é uma das causas da alergia de fralda, e com o tempo, se não for tratada, vai piorar a dermatite. Para eliminar o problema, dê bastante líquido ao bebê – água natural ou fervida e chás. Outra dica importante é reduzir alimentos com açúcar refinado, cafeína, laticínios e gordura, além da carne vermelha. Prefira os alimentos naturais, como vegetais, frutas e verduras frescos.

  1. Alivie os sintomas

Como a alergia irá causar coceira e ardência na pele, você pode aliviar o desconforto do bebê usando óleo de calêndula entre as trocas de fraldas. Esse óleo tem propriedades anti-inflamatórias e cicatrizantes. Também é recomendável fazer compressas com soro fisiológico na área, porque elas irão refrescar bastante a pele. Além disso, deixe o bumbum do bebê respirar um pouco depois de fazer a higienização e antes de colocar a fralda limpa.

  1. Se precisar, troque a marca da fralda

O mais indicado a fazer antes de pensar em trocar de fralda é fazer trocas mais constantes da fralda em si, para evitar que a pele do bebê fique muito tempo em contato com o xixi e o cocô. Mas se você perceber que a fralda está apertada, compre outra marca ou mesmo outro tamanho da mesma marca, e fique de olho para ver se o problema desaparece.

  1. Troque os produtos de higienização

Lenços umedecidos, pomadas para assadura e talcos podem conter substâncias alergênicas em suas fórmulas, que podem causar o problema. Experimente usar outras marcas para ver se a dermatite melhora. Pode até usar algodão com água morna em vez de lenços umedecidos se achar que eles é que estão causando o problema. Se o bumbum do bebê estiver muito sujo, prefira lavá-lo na pia do banheiro ou no chuveiro, em vez de fazer a higienização com lencinhos umedecidos, algodão ou mesmo toalhinhas.

  1. Deixe o bumbum do bebê respirar

Quando estiver muito calor, além de dar mais líquidos ao seu filhote, coloque roupas mais frescas nele. O suor da pele do corpo em geral, e não apenas do bumbum, pode causar e piorar a alergia de fralda. Para evitar a transpiração excessiva, vale usar pequenas quantidades de amido de milho em todas as “dobrinhas” das pernas e dos braços da criança, mas apenas 2 vezes por semana, porque o produto pode ressecar bastante a pele.

Se ao tentar todas essas soluções caseiras você perceber que o problema da alergia ou da dermatite de fralda persiste por pelo menos 7 dias, leve o seu bebê ao pediatra ou mesmo a um dermatologista para verificar qual o melhor tipo de tratamento. Afinal de contas, quando se trata do seu filhote, é melhor não correr nenhum risco, não é mesmo?

E preste atenção: se houver descamação com sangramento ou se você perceber que o pimpolho está sentindo muita dor ou extremo desconforto, chorando muito, vá imediatamente com ele para o médico, porque ele provavelmente irá necessitar de pomadas anti-inflamatórias que só podem ser prescritas por um especialista. Em nenhuma circunstância permita que o seu bebê passe por um sofrimento desnecessário!