ÚLTIMOS ARTIGOS

Tatuagens Maternas – Conheça as melhores

0

Cada vez mais estão na moda entre as mães, as tatuagens maternas que compreendem as mais variadas figuras, mas todas têm um significado especial que é o amor de mãe pelos seus filhos. Por isso, as tatuagens maternas estão aumentando e se tornaram um novo símbolo da maternidade.

Que parte do corpo é melhor para tatuar?

Em qual parte do corpo deseja ter um símbolo que lembre o seu filho ou filha e que acompanhe você pelo resto da sua vida? Bem, há lugares que são mais escolhidos e têm as suas vantagens.

O pulso é uma das partes favoritas do corpo para uma tatuagem materna pequena como nome da criança, porque é um lugar discreto e elegante. Se você precisar, pode ocultar facilmente com um relógio ou pulseira. Se você quiser que seja visto, também é fácil. Portanto, é o lugar perfeito.

Outro dos mais populares é o pescoço. É um local recomendado principalmente, porque é muito elegante para mulher. 

Além disso, você precisa decidir de que maneira será o design, por exemplo, o tipo de letra, se deseja ornamentos, acessórios, cores e assim por diante.

Tatuagens maternas melhores desenhos

Desde pequenos símbolos aos desenhos mais complicados e extensos, passando pelos nomes das crianças gravados com tinta na pele, a variedade de tatuagens maternas é ampla

Amor infinito

Com o nome da criança ou uma frase que lembra o amor infinito de mãe, acompanhado por estrelas ou elementos florais, esta é a tatuagem favorita.

O símbolo celta da maternidade

Elegante, estilizado e simples, o símbolo celta da maternidade é o favorito das mães que preferem o valor simbólico ao literal. Existem várias variantes: simples, com elementos vegetais, incluindo no desenho o nome da criança ou a data de nascimento.

A batida do coração

Um dos momentos mais emocionais da gravidez é quando você ouve os batimentos cardíacos do bebê. Então, a mãe fica realmente ciente de que dentro dela existem dois corações. É por isso que não surpreende que muitas mães decidam tatuar precisamente os sinais vitais de seu filho. 

Uma maternidade zen

Os pequenos detalhes das mandalas associadas a pequenos símbolos maternos e femininos são outra das tatuagens de pequeno formato que geralmente são combinadas com o nome ou a data de nascimento dos filhos.

Amamentação, o vínculo mãe de filho com tinta na pele

Nesta categoria, encontramos grandes tatuagens que se estendem por grandes superfícies da pele. Obras de arte autênticas que lembram um dos estágios mais emocionais da relação mãe e filho.

Algumas delas até lembram que, evidentemente, a maternidade não está em desacordo com o feminismo. 

As 3 idades da mulher Gustav Klimt, a obra de arte mais tatuada

Uma tendência que não é exclusiva das mães, pois os pais também se incluem. Existem até aqueles que decidem tatuar os desenhos de seus filhos na pele.

Se você ficar indeciso, pense novamente, existem desenhos para todos os gostos e será algo para sempre. Se seu filho é um pouco mais velho, você pode até tatuar na sua pele um desenho que ele mesmo fez e que é especial para você. Esta é uma tatuagem das mais originais e totalmente pessoal. 

Nome da criança

Quando se fala de tatuagens em homenagem a crianças, uma das opções mais populares e que a maioria das pessoas escolhe é expressar o nome acima na pele. É um design simples, elegante e discreto que você pode personalizar ao seu gosto, adicionando outros elementos ou o que quiser e da forma que desejar.

Retrato

Uma das ideias mais populares quando se fala de tatuagens em homenagem a filhos e filhas é o retrato. Muitos optam por imortalizar o rosto dos seus pequenos ou pequenas para carregar para sempre com eles na pele.

Outras ideias

Se você é um daqueles que prefere uma tatuagem menor e algo mais discreto, não se preocupe, também tem opções que se encaixe no seu gosto.

Há muitas ideias e todas elas são muito originais desde a tatuagem dos pezinhos do bebê às mãos, o desenho de uma mãe e seu filho, a maternidade e a paternidade em animais, ou seja, animais com seus filhos como elefantes, leões, lobos etc. Outra opção é tatuar a data de nascimento etc.

Mobile de berço para bebês – Usar ou não usar?

0

Por que seu bebê deve ter um brinquedo móvel no berço? Por que um mobile de berço é uma boa ideia? Bem, se seu filho ou filha tem dificuldade para dormir e você teme passar a enésima noite de branco, além de não pode ficar acordada, porque amanhã tem que ir trabalhar.

Nesse caso, o mobile de berço pode ser útil.

Para que serve um Mobile de berço?

O mobile de berço ajuda seu bebê a desenvolver senso de observação e a capacidade de acompanhar jogos. Também contribui para a estimulação dos sentidos e serve para acalmá-lo e fazer dormir.

Este brinquedo irá ajudar seu bebê a exercitar a visão que precisa de prática para se desenvolver. Nos primeiros dias, a visão do seu bebê não é muito eficaz, ele vive em um mundo totalmente embaçado e apenas percebe luzes e sombras.

É por isso que o mobile de berço é um excelente objeto de observação; ao se mover, captura a luz e a faz dançar na superfície de seus elementos. Esses reflexos mutáveis ​​despertam um grande interesse no seu bebê.

O interesse do bebê pelo mobile de berço é vivo, mas não constante. O tempo máximo de atenção é de dois ou três segundos, porém retorna instante depois de alguns segundos.

O mobile de berço é o primeiro brinquedo para bebê. Contribui para o desenvolvimento visual, auditivo, percepção cromática e coordenação do olho e mão, uma vez que a criança tenta tocar os elementos que ficam pendurados no mobile de berço.

Qual mobile de berço escolher?

Os bebês preferem aqueles que são pretos e brancos do que os que são coloridos. Exceto se forem cores muito brilhantes. O brilho independente da cor é sempre especial.

Durante o primeiro mês, o bebê concentra a atenção mais nas cores preto e branco, mas pouco a pouco as cores vivas, as luzes e os sons chamam a atenção.

Um mobile de berço atraente para a criança pode ser uma caixa de música mecânica com um dispositivo para parar a qualquer momento ou elementos que se transformam em brinquedos separados. 

Existem aparelhos com controle remoto que permitem selecionar diferentes funções e com itens luminosos projetado no alto, no entanto custam mais.

Não se esqueça também da segurança. É importante que o mobile de berço seja facilmente acoplado ao berço com total firmeza. Siga bem as instruções de montagem. 

Coloque o braço da suspensão o mais alto possível para impedir que a criança agarre o mobile de berço, puxe-o e caia na cabeça. Se você possui um modelo com bateria, troque com frequência. As baterias gastas, às vezes, emitem um líquido corrosivo.

Dicas para escolher o brinquedo móvel para bebê

Para escolher o mobile de berço certo, você deve observar algumas características, como:

Ele deve ter elementos leves para pendurar, desse modo mesmo que o bebê possa alcançar não se machuque. Outra dica é para olhar o mobile de berço da perspectiva que o bebê terá, quando for comprar. Embora alguns desses brinquedos sejam muito bonitos, lembre-se que o importante é que o bebê goste.

Atualmente, existem mobiles de berço muito sofisticados cheios de luzes e vários toques musicais, mas você também pode criar um mobile de berço muito legal com os elementos que tem na sua casa.

brinquedos móveis que projetam luzes na parede ou no teto, mas isso não é adequado para bebê recém nascidos, porque o campo de visão é limitado. 

Dicas de uso

O brinquedo móvel de berço deve ser colocado dentro do campo visual do bebê. A altura deve ficar em torno de 25 a 30 cm acima da cabeça dele, para que não interfira quando a criança se levantar ou na hora de colocar o bebê no berço.

Além disso, é importante assegurar que o brinquedo móvel fique bem preso para evitar que caia sobre o bebê.

É indicado remover o mobile do berço quando a criança atingir a idade de 6 meses, fase em que ela, provavelmente, poderá se sentar e pegar as peças e se machucar.

Apesar do que foi dito, é importante enfatizar que esse brinquedo com luzes e sons não devem substituir os braços da mãe para acalmar o bebê, os móbiles de berço são um acessório indicado para o entretenimento da criança e estimulação do seu desenvolvimento.

Frutas que aumentam a fertilidade

0

Fertilidade é a capacidade dos seres vivos de se reproduzir por um “tempo razoável”. Portanto, a infertilidade é a perda dessa capacidade. O que comemos influencia por isso, frutas que aumentam a fertilidade podem ser de grande ajuda para engravidar.

Uma alimentação equilibrada é essencial para o bom funcionamento de qualquer sistema do corpo e, o sistema reprodutivo não é exceção.

Embora não haja estudos nos quais essa afirmação seja reforçada, é sabido que a falta de energia ou de certos nutrientes tem um impacto negativo no nosso corpo

Por esse motivo, além da recomendação de alcançar um peso adequado para evitar problemas de saúde, uma alimentação balanceada é recomendada para ambos os parceiros que querem ter um bebê

Frutas coloridas para aumentar a fertilidade

As frutas são alimentos que temos facilmente acesso no dia a dia e é bastante prazeroso consumi-las. Para aumentar a fertilidade, prefira frutas vermelhas como ameixa, cerejas, romã, morangos etc. e também, coma laranja. Essas frutas são ricas em vitaminas e oligoelementos essenciais para a reprodução. 

Os destaques vão para os morangos e laranjas, que contêm a coenzima Q10 e vitamina C; a romã, com grande poder antioxidante e frutas vermelhas, ricas em resveratrol.

Outros alimentos para reforçar a fertilidade

Há outros alimentos que juntos com as frutas aumentam a fertilidade e se tornam mais uma excelente opção para você inclua na alimentação se desejar engravidar.

Nozes e sementes

É aconselhável sempre incluir nozes e sementes na alimentação, se você estiver procurando ter um bebê, porque esses alimentos são ricos em oligoelementos e ômega 3, um ácido graxo essencial que participa ativamente da fertilidade.

Vegetais de folhas verdes

Quase todos os vegetais de folhas verdes fornecem substâncias essenciais para a nossa reprodução. Recomenda-se consumir sempre frescos ou cozidos no vapor. Eles também fornecem ácido fólico, elemento essencial antes da gravidez e também no primeiro trimestre.

A ingestão de folatos juntamente com complexos multivitamínicos durante a gravidez (desde que não contenham vitaminas lipossolúveis acima das doses diárias recomendadas) reduz a incidência não apenas de defeitos do tubo neural, mas também de malformações cardíacas, urinárias, orofaciais, de membros e malformações. 

No entanto, consumo de ácido fólico não impede todos os defeitos do tubo neural, porque existem alguns que não estão relacionados ao déficit de ácido fólico, mas com anormalidades cromossômicas ou diabetes mal controlado.  

Além disso, exceto em casos excepcionais, geralmente é um erro suplementar o ácido fólico em mulheres saudáveis ​​que desejam engravidar. Qualquer mulher com uma alimentação balanceada terá ácido fólico suficiente.

Cereais integrais

Os cereais integrais não apenas têm uma absorção mais lenta que os refinados, diminuindo os picos de glicose no sangue, como eles também fornecem, entre outros compostos, selênio e L-arginina, oligoelementos e aminoácidos necessários para a fertilidade.

Peixe azul

É essencial que os homens cuidem da alimentação, começando por reduzir o excesso de peso e o colesterol. Além das frutas que fornecem vitaminas necessárias para eliminar substâncias oxidantes que destroem o DNA do esperma, as nozes e sementes têm ômega 3 e os peixes gordurosos também fornecem esse ácido graxo essencial para a reprodução.

Especialistas também recomendam, no caso dos homens, fazer a ingestão de proteínas em carnes, ovos ou laticínios, que fornecem coenzima q10, L-carnitina e N-acetilcisteína, todos necessários para uma boa qualidade seminal.

Mexilhões e peixes azuis e outros alimentos como o sal iodado fornecem iodo, essencial para o sistema reprodutivo.

Fatores que contribuem para a infertilidade

Embora as frutas junto com outros alimentos possam ajudar a melhorar a fertilidade o fator chave para melhorar a probabilidade de uma gravidez é outro, e não tem nada haver com alimentação, que é a idade.

Pode-se dizer que uma mulher de 30 anos tem metade da fertilidade de uma mulher de 20; a de 35 a quarta parte e a de 40 a oitava parte de 20. Para esse tratar esse fator a alternativa que se tem é o congelamento de óvulos e paciência.

No entanto, olhando para a questão alimentar o álcool e a cafeína fortalecem a infertilidade. Álcool está associado aos piores resultados relacionados a reprodução e a cafeína parece causar maior incidência de aborto e uma menor taxa de recém-nascidos vivos nos ciclos de fertilização in vitro com o consumo de altas doses.

Desfralde – O que você deve saber sobre ele?

0

Veja quando remover a fralda de uma criança sem estresse. Trocar fraldas ou lavar bundas pequenas são obrigações que os pais aceitam com alegria.

Naturalmente, algumas crianças aprendem antes de outras, mas também devemos lembrar que algumas crianças andam e falam antes de outras.

Desfralde natural

Independentemente das histórias que foram ouvidas por amigos ou colegas, a criança com 1 ano de idade, com certeza, é incapaz de entender ou se autocontrolar. 

Tentar ensinar uma criança tão cedo pode ser uma fonte de muitas frustrações. Em uma criança tão jovem, as conexões entre o cérebro e as funções de evacuação ainda não se desenvolveram.

A criança não pode por si mesma, querer fazer uma evacuação ou urinar, e nem sabe que foi eliminada. A consciência vem antes do controle do esfíncter.

O controle é dado pela capacidade crescente da bexiga de reter mais urina e a necessidade menos frequente de evacuação. A ordem normal da evolução é a seguinte:

  • Controle intestinal noturno.
  • Controle intestinal diurno.
  • Controle da bexiga durante o dia.
  • Controle da bexiga noturna

A grande maioria das crianças está preparada para fazer o controle do esfíncter diurno, entre dois e três anos, embora possa ocorrer mais cedo, aos vinte meses. 

Os adultos não devem se sentir pressionados a ensinar a criança a sair das fraldas até que ela esteja madura, não importa se Joãozinho conseguiu isso dois meses mais jovem. O controle do esfíncter diurno é uma capacidade corporal complexa.

Como saber quando seu filho deve sair das fraldas

Para determinar se a criança está no momento certo para realizar o aprendizado do controle urinário, podemos fazer as seguintes verificações:

Controle da bexiga

Seu filho urina excessivamente de uma só vez e não em pequenas quantidades ao longo do dia?

Ele fica seco por várias horas por dia?

Você perceber que ele vai urinar, por expressão através do rosto ou das posturas especiais que ele adota?

Se a resposta for sim, nos três casos, isso significa que ele está ciente das sensações da bexiga e tem controle suficiente para iniciar o treinamento.

É possível que possamos ter alguma dificuldade em responder a algumas dessas perguntas, pois a criança passa o dia inteiro com a fralda e esses dados podem passar despercebidos, mas a avaliação concentrada por alguns dias permite ver isso.

Outro aspecto a ver é se a criança tem coordenação suficiente com os dedos e mãos para pegar objetos facilmente e se ela se move facilmente de um cômodo para outro sem precisar de ajuda.

Diretrizes de controle de esfíncter noturno

O controle noturno ou no cochilo. É um controle diferente e requer mais maturação. O controle do xixi noturno não é considerado patológico até os cinco anos de idade. 

As crianças podem controlar o xixi da noite em idades muito diferentes, algumas fazem até aos três, quatro ou quatro anos e meio. Não é aconselhável remover a fralda durante a noite até a criança acordar durante a noite pedindo para fazer xixi e por 10 noites consecutivas de fralda seca.

A remoção da fralda terá de ser total e completa, sem exceções. Não devemos colocar a fralda se formos a um casamento, ao hipermercado etc. ou a qualquer outro lugar.

Como ensinar a criança abandonar as fraldas

Quando tirar a fralda de uma criança, diga a ela que é capaz de controlar e que precisa se esforçar para controlar o xixi e evite colocar novamente fraldas em casos de acidentes.

Se uma criança não faz xixi por duas horas, este tempo é indicativo para deixa-la sem fraldas e para saber quando levar para o peniquinho. Leve ao penico quando achar que pode querer fazer xixi e deixe por 1 minuto, ficando com ela. 

É importante não prolongar o tempo de permanência, senão a criança se aborrece e pode considerar essa atividade negativa. Não coloque qualquer punição ou faça comentário verbal negativo se a criança não conseguir. Faça como se fosse um jogo.

Dê o maior número possível de líquidos, quanto mais chances de urinar, maior a possibilidade de sucesso e maior a possibilidade de aprendizado.

Se, após cerca de quinze dias, a criança parecer não avançar no controle, é aconselhável consultar o psicólogo da escola ou o educador, dentre todos os que podem observar e analisar o comportamento da criança, a fim de obter melhores resultados.

Depressão pós-parto – Dicas para lidar com ela

0

Ter um filho é um dos momentos mais felizes para qualquer mulher.  

A nova vida junto com o bebê pode ser muito gratificante e emocionante, mas essa nova situação também é difícil, estressante e consome muita energia. Ficar fisicamente preparado para o parto é importante, mas não se deve negligenciar a preparação psicológica e emocional após o nascimento da criança.

O que é depressão pós-parto?

Estima-se que 80% das mães sofrem de depressão pós-parto. Esse estado é caracterizado por uma série de mudanças físicas e emocionais que ocorrem após o parto.

Tristeza, ansiedade, medo, confusão, dúvidas, perda de apetite, esgotamento e insônia são alguns dos sintomas que podem ser sentidos. Dependendo da intensidade e duração, pode-se falar sobre três tipos de depressão:

Estado depressivo normal: ocorre por volta do terceiro dia após o parto e tem uma duração curta. É o estado mais comum e a maioria das mulheres sofre.

Depressão puerperal: os sintomas aparecem na sexta semana do puerpério e geralmente pioram no final do dia. Nesse tipo de depressão, geralmente é necessária a ajuda de um profissional como um psiquiatra ou psicólogo.

Psicose puerperal: é uma condição psiquiátrica mais séria e pode até haver situações nas quais a mãe é incapaz de cuidar do filho. Geralmente ocorre em pessoas que já tiveram problemas psíquicos antes da gravidez.

Por que depressão pós-parto ocorre?

Na depressão normal, vários fatores entram em cena e ocorrem nos primeiros dias após o parto. Antes disso, vale a pena observar que há as mudanças físicas que ocorrem no corpo da mulher e a quebra do equilíbrio hormonal.

As alterações nos níveis de estrogênio, progesterona, prolactina e cortisol são os principais culpados pelas mulheres entrarem em estado depressivo normal em torno do terceiro dia após o parto.

Além disso, outros fatores influenciam, como problemas físicos ou desconforto (perda de sangue, episiotomia, fadiga etc.) que podem causar desconforto e ansiedade.

Por outro lado, aspectos emocionais de vários tipos influenciam:

Perda da gravidez: muitas mulheres sentem que não são mais o centro de tudo e que a atenção dos outros e de si mesma está agora voltada para o bebê, que por acaso é o protagonista.

Problemas do parto: o parto nem sempre atende às expectativas da gestante e, nos casos em que o parto foi por cesariana ou instrumental (fórceps), a criança nasce prematura e assim por diante, a mãe pode se sentir decepcionada ou culpada pela situação.

Alimentação do bebê: uma mulher pode se sentir culpada se não puder fazer a amamentação adequadamente.

O próprio bebê: nem todas as crianças são iguais, algumas facilitam as coisas para a mãe e outras nem tanto. Muitas crianças dormem e adormecem logo após a amamentação, o que pode causar frustração na mãe. Também influencia se o bebê teve um problema e a mãe recebe alta enquanto a criança deve permanecer na clínica.

Relação com o meio ambiente: o tipo de relação com o pai e o meio ambiente também pode causar depressão.

9 dicas para acabar com a depressão pós-parto

Para lidar melhor com essa situação:

  1. Deixe-se ajudar: ninguém nasce sabendo, não queira fazer tudo sozinha e peça ajuda. Não se exponha a muito esforço e se perdoe, o que acontece com você é normal, não se sinta culpada.
  2. Não tente viver uma vida cor de rosa: suponha que não haja um filho nascimento ou ambiente perfeito. Se adapte às circunstâncias, desfrute do seu filho e também perdoe os erros dos outros.
  3. Descanse bastante: aproveite qualquer oportunidade para tirar uma soneca quando seu filho permitir.
  4. Fale sobre seus sentimentos: com o parceiro, família, outras mães e assim por diante.
  5. Coma corretamente: legumes, saladas, frutas e leite são alimentos muito adequados para o seu estômago. Agora você precisa de toda a energia, não pare de comer e deixe as dietas para mais tarde.
  6. Encontre tempo para desfrutar com seu parceiro: você não é apenas uma mãe, mas também uma mulher.
  7. Não seja muito crítica consigo mesma ou com seu parceiro: embora ele não entenda a gravidez ou o parto não significa que a nova situação seja fácil.
  8. Não tenha medo de consultar o médico se estiver preocupada.
  9. Não passe muito tempo sozinha: não fique trancada em casa o dia todo. Caminhar pode relaxar você.

Como entender o exame de ultrassom?

0

As ultrassonografias ou ultrassom são exames pré-natais oferecidos à maioria das mulheres grávidas. Esses exames são especificamente úteis para monitorar a evolução do bebê durante a gravidez. 

Os exames de ultrassom ajudam a saber se a concepção ocorreu, o embrião está no lugar certo e há batimento cardíaco. Além disso, também ajudam a descobrir se o feto tem algum tipo de problema ou se o desenvolvimento segue o curso correto. 

Às vezes, no entanto, pode haver dúvidas sobre os termos, parâmetros e palavras que você encontra no ultrassom quando o ginecologista ou o tocologista imprime a ultrassonografia. 

Exame de ultrassom na gravidez

O exame de ultrassom usa ondas sonoras para mostrar a imagem do bebê dentro da barriga da mulher grávida (útero). Ele ajuda o médico a controlar não apenas a saúde, mas também o desenvolvimento do bebê.

É um exame essencial durante a gravidez e, para muitas mães e pais, pode se tornar a primeira vez que você “vê” seu filho ou filha. De fato, dependendo de quando é realizada e da posição do bebê, é possível ver as mãos, pernas e outras partes do corpo. 

Além disso, permite saber se a criança será um menino ou uma menina. Por isso, é um exame de extrema importância na gravidez.

A maioria das mulheres faz uma ultrassonografia em cada trimestre da gravidez. Por exemplo, no final do primeiro trimestre (cerca de 12 semanas de gestação), no segundo trimestre (entre 16 a 20 semanas) e antes do final da gravidez.

O exame de ultrassom realizado em cada trimestre tem uma diferente importância. Enquanto no primeiro trimestre ajuda a descobrir se há batimento cardíaco ou não e se o embrião está se desenvolvendo no lugar certo.

No segundo trimestre, se torna um exame fundamental. É um teste morfológico que permite descobrir mais coisas sobre o bebê como se ele está se desenvolvendo bem ou não, se existe algum tipo de distúrbio ou defeito no desenvolvimento, se tem peso e tamanho adequado e assim por diante.

Por fim, no terceiro trimestre, ajuda a saber em qual posição ele está colocado e se há líquido amniótico suficiente (o que pode ser um sinal de possível sofrimento para o bebê, se o nível não estiver adequado).

Que significa? Descubra como interpretar a ultrassonografia do seu bebê

O exame de ultrassom geralmente mostra uma série de termos e elementos que, embora pareçam letras e palavras sem sentido, podem realmente oferecer uma grande quantidade de informações, principalmente quando entendemos – e sabemos – o que eles significam:

CA: refere-se ao perímetro do abdômen do feto. É conhecida como circunferência abdominal e é expressa em milímetros.

DBP (BDP): conhecido como diâmetro biparietal, refere-se ao diâmetro da cabeça do feto, expresso em milímetros.

CLR: refere-se à distância entre a coroa e o cóccix do feto. É conhecido como comprimento da garupa da coroa e é uma medida que é expressa em milímetros.

EDD: Refere-se à data estimada em que a mulher grávida pode dar à luz. Também é conhecido como data provável do parto.

EPF: refere-se à estimativa do peso do feto. É expresso em gramas e também é conhecido como EFW, estimativa do peso fetal ou Peso fetal estimado.

HAD: Corresponde ao acrônimo da pessoa que calculou e publicou a tabela de parâmetros da CRL.

CC: Refere-se ao perímetro do crânio. É expresso em milímetros e é conhecido como HC em inglês, circunferência da cabeça.

FL: Refere-se ao comprimento do fêmur. É expresso em milímetros e também é conhecido como LF, comprimento do fêmur.

O que significa o ultrassom da gravidez

Se você realizou recentemente um exame de ultrassom da gravidez e examinou os diferentes parâmetros e elementos encontrados nele, saberá como interpretar as principais informações contidas nele, sabendo o que as siglas significam. 

Embora você, talvez, ache que esses valores são meros aspectos técnicos sem importância, na verdade são que eles podem oferecer informações de alguma quão saudável está sua gravidez.

Principalmente em questões relacionadas ao tamanho do feto e questões fundamentais de como está indo a gestação como poderá ser o parto (normal ou terá de ser cesariana). De qualquer maneira, é imprescindível não deixar de fazer as ultrassonografias na gravidez.

Brinquedos musicais valem a pena?

0

A oferta de brinquedos musicais é ampla. Cada vez mais se vê nas prateleiras das lojas algum produto infantil que emite sons e entretém a criança.  Isso se explica pelos benefícios que os brinquedos musicais têm.

Brinquedos musicais na infância

Brincar com um brinquedo musical é um dos melhores recursos para estimular as habilidades cognitivas e sociais na infância. Além disso, o contato com a música se torna essencial para liberar emoções.

Atualmente, são conhecidos muitos benefícios de se brincar com um brinquedo musical na infância. Embora a maioria das crianças faça isso por diversão, a prática regular tem um impacto significativo no processo de desenvolvimento cognitivo, social e artístico.

Desde o início do processo de aprendizado, exercem-se importantes habilidades cerebrais, o ouvido aguça e a capacidade de expressar melhora. Além disso, fortalece esta arte, facilita a formação da personalidade da criança e permite que tenha uma melhor autoestima.

Benefícios dos brinquedos musicais

São diversos os benefícios de uma criança ter brinquedos musicais.

Promove o bem-estar emocional

O contato com brinquedos musicais ajuda a promover a sensação de bem-estar emocional nas crianças. Ao apreciar a música através da prática, as crianças liberam energias reprimidas e se sentem melhor consigo mesmas.

Esse efeito é particularmente benéfico para crianças que tendem a se frustrar facilmente ou que não sabem como verbalizar seus sentimentos. Melodias e músicas se tornam um de seus principais recursos de expressão e comunicação.

Melhora as habilidades cognitivas

Usar um brinquedo musical tem efeitos importantes no desenvolvimento do cérebro e no fortalecimento das habilidades cognitivas. As crianças que tocam violão, bateria, pianos ou qualquer outro dispositivo musical mesmo que por diversão têm melhor concentração e capacidade de resolver problemas.

A música estimula a atividade dos neurônios e os torna mais eficientes na transmissão de sinais. Dessa forma, com o tempo, leva a um pensamento mais rápido e a uma melhor memória. 

Além disso, favorece o desenvolvimento do pensamento crítico e lógico e estimula as áreas cerebrais relacionadas à matemática.

Fortalecer as habilidades linguísticas

A relação com a música desempenha um papel muito importante no desenvolvimento das habilidades linguísticas das crianças. Os brinquedos musicais com as letras ajudam a expandir vocabulário.

Promover habilidades sociais saudáveis

As crianças brincando com esse tipo de objeto têm mais facilidades para interagir no ambiente social. Como a autoestima e a autoconfiança da criança são fortalecidas, ela sente menos medo de entrar em contato com adultos e outras crianças.

Além disso, compartilha diversão com os amigos, aprende com o trabalho cooperativo e o jogo associativo. Se os pequenos criarem “uma banda”, descobrem juntos a magia da música e aprendem a resolver diferenças e trabalhar juntos.

Promover a criatividade

Os brinquedos musicais são um excelente recurso para estimular a criatividade e a curiosidade em crianças pequenas. Quando improvisam em uma flauta ou violão para criança, fortalecem a área do cérebro que lhes permite inovar e criar em qualquer outra área.

Ensina ter a paciência

Os padrões de aprendizado com música ajudam a fortalecer a capacidade de paciência nas crianças. Como alguns sabem bem, as crianças geralmente não apreciam essa virtude facilmente. Portanto, quando brincam de tocar um instrumento, aprendem que leva tempo para que pareça perfeito.

No entanto, é importante orientá-los e apoiar para que não desista quando tiverem dificuldades. 

Desenvolver habilidades motoras

Para usar um brinquedo musical em jogos e diversão as crianças necessitam empregar algumas das habilidades motoras e descobrem como coordenar os membros para dançar ou criar música. Além disso, eles aprendem a controlar os músculos e movimentos que muitos brinquedos exigem.

Oferece aprendizado contínuo

O relacionamento com a música e os brinquedos ensina as crianças a valorizar o aprendizado contínuo. Muitos são apaixonados por essa arte e tomam a decisão de explorá-la em muitos aspectos. Portanto, depois de dominar um brinquedo, é normal que eles desejem aprender a usar outro.

Além disso, ao encontrar infinitas possibilidades no ambiente musical, outros decidem que querem aprender a cantar ou compor suas próprias obras. Então, tudo junto leva a aprender mais.

Em resumo, aprender com um brinquedo musical é um grande suporte para o processo de formação da criança. Portanto, como outras artes são incentivadas, seria bom dar brinquedos musicais a ela.

Gravidez semana a semana – 36˚ a 40˚ semana

0

No nono mês de gravidez, a fadiga, as contrações aumentam e os controles médicos se intensificam. O parto pode ocorrer a qualquer momento.

Nono mês de gravidez

É chegada a reta final dessa longa jornada e o bebê se prepara para nascer.

Semana 37 da gravidez

Os controles médicos se intensificam e ajudam a saber aproximadamente quando será o dia do nascimento do bebê pode chegar.

O bebê

O bebê, que facilmente atinge 50 centímetros de comprimento e 3 kg de peso, tem a cabeça embutida na pelve, seja a mãe pela primeira vez ou não. Neste momento, é muito importante saber muito bem qual o tamanho para saber se terá problemas ou não para atravessar a pelve, o colo do útero e a vagina.

Mãe

A mãe sente algum alívio para respirar. Essa melhora ocorre porque, à medida que o bebê desce para a pelve, o útero comprime menos os pulmões e é mais fácil respirar profundamente.

No entanto, a descida do bebê faz com que a bexiga da mãe se comprima mais e urine com mais frequência. Também é normal que você sinta mais peso nas nádegas e na pélvis, o que causa dificuldades em sair do assento.

Semana 38 da gravidez

Na 38ª semana de gravidez, é muito comum a ocorrência do parto. A mãe sente que as contrações estão se tornando mais frequentes, portanto, ela deve ficar atenta e ir ao hospital se achar que seus sintomas podem indicar que o parto está chegando.

O bebê 

O útero não é mais o ambiente indispensável para a maturação do bebê continuar.  O comprimento médio é de 50 centímetros e o peso é de 3.300 gramas.

Mãe 

Neste ponto da gravidez, a mãe sentirá uma coisa em especial: cansaço. Ela terá dificuldade para descansar à noite e durante o dia o mínimo esforço é grande. O mais comum é que a mulher grávida não tenha vontade de fazer nada.

Semana 39 da gravidez

O bebê já está totalmente desenvolvido, portanto o parto é iminente. Se considerado necessário, o ginecologista pode decidir avançar.

O bebê 

A maturidade é completa e o útero não é mais apenas um espaço desnecessário para o bebê, mas agora pode ser um ambiente desfavorável, uma vez que o tamanho e o desenvolvimento do feto é grande que, às vezes, a placenta é incapaz de fornecer nutrientes necessários para o bem-estar do bebê dentro da mãe.

Mãe 

O corpo da mãe experimentará as sensações ou sintomas que indicam o início do trabalho de parto. As contrações uterinas ficam mais frequentes e intensas. As contrações ajudam a cabeça do bebê a se encaixar ainda mais na pelve, à medida que desce gradualmente. 

É normal que a mãe manche a calcinha com um pouco de sangue antes do parto. Isso ocorre porque o tampão mucoso que obstrui a abertura do útero é ejetado.

O desejo de ir ao banheiro é mais frequente do que durante o resto da gravidez. Além de tudo isso, a mãe se sentirá muito desconfortável e nervosa, com uma inquietação que será aliviada assim que o nascimento começar. 

Semana 40 da gravidez

Se neste momento o bebê ainda não nascer, os médicos provavelmente decidirão entrar com medicação para causar o parto. Atualmente, é raro atingir 40 semanas de idade gestacional.

O bebê

Enquanto permanecer dentro do útero, o bebê continuará a crescer se tudo correr bem. Isso não é positivo, pois se ele crescer muito terá mais dificuldade em sair pelo canal de parto.

Mãe

Os sentimentos que teve na semana anterior continuam os mesmos ou aumentam. Frequentemente, se o nascimento não ocorrer, a intenção da mãe em um hospital ainda é optada.

É melhor assim, pois existe maior controle sobre o estado do bebê e da mãe, e o parto pode ser feito imediatamente. Além disso, a mãe pode descansar melhor e se sentir mais calma ao ser observado pelo médico

O passe da mãe deve ser absoluto, para que ela passe a maior parte do dia deitada ou, em qualquer caso, sentada.

Semana 41 e Semana 42

Como dito, é raro uma gestação passar de 40 semanas. A partir da semana 41 aumenta o risco para o feto e para a mãe, mas em casos excepcionais o máximo que uma gravidez pode chegar é até a semana 42.

Gravidez semana a semana – 32˚ a 36˚ semana

0

No oitavo mês de gravidez, você estará mais cansada e poderá ter contrações frequentes. Os órgãos do seu bebê já estão bem desenvolvidos, para que ele possa sobreviver a partos prematuros sem sequelas.

Oitavo mês de gravidez

No oitavo mês de gravidez, o desconforto e a fadiga aumentam para a futura mãe, de modo que a mulher precisará de mais descanso e mais apoio familiar do que nunca.

Semana 32 da gravidez

O bebê continua aumentando em peso, comprimento e gordura que protegerá quando ele nascer

O bebê

Os órgãos e sistemas mais importantes do bebê estão bastante desenvolvidos e os pulmões já podem ter quantidade suficiente de surfactante, que torna esses órgãos válidos para respirar ao ar livre e já seria possível dar à luz ao bebê. O bebê continua crescendo.

Mãe

A mãe aumenta de volume de sangue em 40%. Se também adicionarmos os outros líquidos retidos, é possível alcançar com facilidade de 6 a 8 litros do total de líquidos corporais retidos. 

Após o parto, ela perderá pouco a pouco. Também a partir desta semana, a pressão arterial da mãe volta aos valores normais que ela apresentava antes da gravidez. Por outro lado, aumenta as chances de hemorroidas.

Semana 33 da gravidez

É o período mais irritante para a mãe, principalmente se for a primeira vez, pois desconfortos podem voltar.

O bebê

Durante a 33ª semana de gravidez, o bebê continua a ganhar peso e a crescer em comprimento; atinge facilmente 43 centímetros e pesa cerca de 2 kg.

Seu sistema digestivo começa a funcionar normalmente e forma as fezes, conhecidas como mecônio. O bebê não expele as fezes e as retém no intestino até o parto. 

Mãe

Mamãe continua a ganhar peso, as articulações das pernas ficam doloridas ao fazer um esforço maior. As dores nas costas, lumbagos, também ocorrem com frequência

Nesta semana, o útero atinge a altura mais alta e atinge a borda inferior das costelas, o que dificulta a respiração da mãe, porque ela não pode expandir os pulmões mais facilmente

Semana 34 da gravidez

O bebê está pronto para nascer e os futuros pais já devem ter tudo pronto para recebê-lo.

O bebê

Durante esta semana, o bebê recebe da mãe grandes quantidades de imunoglobulinas e outras substâncias muito necessárias para criar defesas naturais que o protegem de germes fora do útero da mãe. 

Mãe

Os desconfortos não mudam em comparação com a semana anterior. É normal que a mãe sinta fome várias vezes ao dia, e é bom satisfazê-la com uma alimentação equilibrada que o médico recomendará. 

Semana 35 da gravidez

O corpo da mãe começa a se preparar para o parto e as contrações se tornam mais frequentes, sem necessariamente significar que chegou a hora.

O bebê

A única tarefa que resta para o bebê é crescer e crescer. Já mede 47 centímetros e pesa cerca de 2700 gramas.

Todo o corpo é coberto por uma oleosidade branca, que é mantida após o parto, e que facilita o deslizamento entre os ossos e os músculos da mãe durante o parto.

Mãe

As contrações ocorrem com mais frequência. O corpo começa a se preparar para o parto. Portanto, o colo do útero começa a dilatar e encurtar, para que, quando chegar a hora, o bebê possa sair dele.

Semana 36 da gravidez

A mãe já ficará tremendamente irritada, enquanto o bebê começa a descer em direção à saída do útero. 

O bebê

A cada contração, o bebê abaixa e se encaixa cada vez mais na pelve. Além disso, começará a inclinar a cabeça para os dois lados para fazer uma fenda no colo do útero da mãe.

Os bebês que já estão na 36ª semana de gravidez variam muito em comprimento e peso, mas geralmente têm cerca de 48 centímetros de comprimento e quase atingem 3 kg de peso.

Mãe

Se nas semanas anteriores a mãe já estava desconfortável, agora a gravidez é realmente irritante e a mãe deseja que o tempo para o parto chegue o mais rápido possível e veja o rosto do bebê assim.

O colo do útero diminui, continua a encurtar e as alterações hormonais continuam a favorecer que músculos e tendões e ligamentos, internos e externos, atinjam a elasticidade necessária no momento do parto.

Veja o que acontece na última etapa da gravidez!

Gravidez semana a semana – 28˚ a 31˚ semana

0

No sétimo mês de gravidez, o ganho de peso pode causar vários desconfortos, como hemorroidas, insônia ou dores musculares. O bebê está muito desenvolvido e começa a se posicionar para o parto.

Sétimo mês de gravidez

A partir do sétimo mês de gravidez, o cérebro do bebê se desenvolve rapidamente, o lanugo que cobre a pele desaparece e aumenta a gordura corporal. 

Semana 28 da gravidez

As contrações de Braxton Hicks começam a ser notadas e insônia e outras complicações relacionadas ao ganho de peso da mãe podem ocorrer.

O bebê

O cérebro do feto se desenvolve rapidamente e o sistema nervoso é semelhante ao de um recém-nascido. O desaparecimento do lanugo e o aumento da gordura corporal tornam a aparência dele mais arredondada.

Na 28ª semana de gravidez, o bebê mede aproximadamente 35 centímetros e pesa 1.250 gramas.

Mãe

O volume do abdome aumenta consideravelmente, a mãe se sente mais pesada a cada dia e muitas vezes sofrem de dores musculares e, principalmente, dores nas costas.

Se no primeiro trimestre da gravidez era normal a gestante sentir a necessidade de dormir mais horas do que o normal, agora, pelo contrário, muitas vezes sofre de insônia, o que aumenta a fadiga causada pelo excesso de peso. 

As chamadas contrações de Braxton Hicks podem começar. Elas são contrações musculares que preparam o útero para o parto, mas não são dolorosas.

Semana 29 da gravidez

O bebê começa a se encaixar dentro do útero, posicionando-se para o futuro nascimento. Mãe terá que controlar o ganho de peso, estrias e hemorroidas.

O bebê

Pesa aproximadamente 1.500 gramas e mede cerca de 40 cm. Começa a se encaixar no útero, posicionando-se para o futuro nascimento, geralmente com a cabeça baixa, de modo que seus “chutes” sejam direcionados para as costelas da mãe

Os pulmões continuam realizando movimentos rítmicos, que imitam a respiração, e permitem que o bebê respire quando ele nasce.

Mãe

Na 29ª semana de gravidez, as temidas estrias ficam mais evidentes. Constipação e pressão do útero também podem favorecer o aparecimento ou agravamento das hemorroidas

Uma dieta rica em fibras e com exercícios moderados podem aliviar esse problema tão comum na gravidez. 

Semana 30 da gravidez

Na 30ª semana de gestação, os pulmões ainda não estão maduros; portanto, se ocorrer um parto prematuro, será necessário o uso de corticosteroides para acelerar a maturação.

O bebê

Este último trimestre da gravidez é caracterizado pelo crescimento do feto, cujo peso aumenta significativamente de semana para semana. Já pode chegar a 1.800 gramas e medir 42 centímetros. Os neurônios olfativos começam a se desenvolver, o que ajuda o bebê a sentir odores. 

Mãe

É normal que a mãe ganhe mais peso nas últimas semanas, cerca de meio quilo por semana. As veias varicosas podem aparecer nas pernas, porque a circulação sanguínea diminui, por isso é muito conveniente caminhar e evitar roupas e calçados que restrinjam as pernas e dificultem o retorno venoso.

Semana 31 da gravidez

Durante a 31ª semana de gravidez, o feto geralmente já está colocado na postura conhecida como “apresentação cefálica”, ou seja, de cabeça para baixo, que é a posição correta para o nascimento.

O bebê

A maturidade do cérebro está aumentando, o que torna os movimentos dos braços e pernas mais frequentes e a mãe se sente mais chutada. Além disso, ele já possui um tamanho considerável, que permite ver como ele pisca ou gesticula na ultrassom.

A cor de sua pele muda de vermelho para rosado, e o aumento de gordura torna sua aparência suave. Os pulmões começam o processo de maturação.

O feto mede cerca de 44 centímetros e o peso é de cerca de dois quilos. Durante o resto das semanas, ele não para de ganhar peso e crescer em comprimento.

Mãe

Aproximadamente na 31ª semana de gravidez, ela se sente pesada e é mais difícil para ela descansar profundamente à noite.

Como o bebê geralmente se vira, a cabeça começa a pressionar a bexiga, e isso faz com que a mãe tenha que ir ao banheiro com mais frequência. É necessário, então, aumentar a higiene das partes íntimas para evitar possíveis infecções urinárias, que são frequentes neste período de gravidez. 

A secreção de colostro através dos mamilos pode aumentar e a partir de agora os seios ficarão mais pesados ​​e inchados, enquanto se preparam para a amamentação após o parto.

Veja o que acontece na próxima fase da gravidez!